[+18] Você já se masturbou hoje?

Maio é o mês internacional da masturbação – sim, você leu isso mesmo. E nós queremos aproveitar esse momento tão especial para dar a dica: miga, se toca.

Atenção: A matéria contém gifs/fotos explícitas ou não recomendadas para ver em público. 

Masturbação ainda é considerado um tabu, principalmente a feminina. Desde pequenas, aprendemos que sexo só serve para a procriação; se você gosta, é pecaminosa, puta, vadia. Isso fez com que muitas mulheres tivessem vergonha de sentir prazer, principalmente quando são elas mesmas a fonte do prazer. Um estudo sueco entrevistou 3000 pessoas e mostrou que 15% das entrevistadas nunca tinham se masturbado na vida (entre os homens, esse número foi de apenas 1%). Dentre as que se masturbam, 43% afirmou usar objetos “de vez em quando”, enquanto a mesma resposta foi dada por apenas 13% dos entrevistados.

“E você nunca ouviu falar do milagre da masturbação?”

Vamos lá, uma coisa de cada vez. 15% das entrevistadas disseram que nunca se masturbaram na vida. Conhecer o próprio corpo é um tabu muito antigo: a humanidade passou séculos sendo atormentada por ameaças que castigavam o prazer solitário. Diziam que a masturbação fazia com que a pessoa ficasse cega, aleijada e até mesmo louca. Mas masturbação não faz mal – pelo contrário, faz (muito) bem. Os homens já superaram esse medo e falam disso abertamente, ainda mais em uma roda cheia de amigos, mas muitas mulheres ainda têm vergonha de explorar o próprio corpo.

(Só um parênteses importante antes de continuarmos: se você não quiser se masturbar, transar, etc, tá tudo bem. O que estamos criticando é essa doutrinação que nos faz ter vergonha do nosso próprio corpo e de ter prazer. Se você, por vontade própria, tá de boa assim, então nós estamos de boa também)

Superando a vergonha, vamos ao próximo passo: a masturbação em si. Algumas mulheres conseguem partir direto para a ação, mas outras precisam de um certo aquecimento. Então, escolha um momento que você sabe que ninguém vai te perturbar, de preferência quando está sozinha em casa. Mesmo com tranca nos quartos, algumas meninas não conseguem relaxar completamente com medo de que alguém as ouça – e relaxar é fundamental nessas horas. Tá se sentindo segura? Então vamos lá.

Depois disso, é hora de preparar o seu corpo. Aproveite esse momento para descobrir o que te deixa excitada – pode ser filmes pornôs ou contos eróticos. Quem sabe não é nenhum dos dois, e sim uma playlist com uma batida mais sensual? Você só vai saber se experimentar. E a dica é essa: experimenta. Muito do que você aprender nesse tempo sozinha vai ser essencial para quando você estiver com outra pessoa. Ao se conhecer melhor, você pode falar para a pessoa o que você gosta, o que te excita.. E aí tudo vai fluir muito melhor.

Já tá excitada? Então chegou o momento. Na hora de se masturbar, algumas mulheres utilizam vibradores ou outros tipos de brinquedos sexuais. Existem vários modelos, formatos, cores, tamanhos.. E vale a mesma regra que antes: experimentar. Nossas parceiras lá do Ginger Sex Shop recomendaram o Vibrador Ponto G pelo seu tamanho discreto (11,5 cm), toque macio e porque ele pode ser usado tanto no clitóris quanto para penetração. Se você não se sente confortável indo até uma loja física, as onlines são uma ótima alternativa, já que o pagamento pode ser feito em boleto (não aparece nada no cartão) e a embalagem é discreta.

O Ponto G

O Ponto G

Se você não quiser ou não puder ter um brinquedo, não tem problema. Você tem dez dedos e, se descobrir como usá-los, eles vão valer mais do que qualquer vibrador. Comece aos poucos, para descobrir qual é o seu ponto mais sensível. A lubrificação é um pouco muito importante nessa hora, porque além de facilitar tudo, indica o quão excitada você está. Caso você ainda não esteja muito molhada, continue com as preliminares ou use algum lubrificador. Veja outro vídeo, leia mais um pouco, explore mais as outras partes do seu corpo.

Variar de posição ou se penetrar com os dedos ou vibrador podem fazer com que você descubra novos estímulos.  Você também pode usar outros objetos em casa, como o chuveirinho da banheira ou do bidê. Não é lá a opção mais ecológica, mas uma vez ou outra não faz mal. Outra “substituição” possível e bem popular é a escova elétrica. Só muito cuidado para não deixar ela no banheiro, hein!

One comment

Deixe uma resposta