Você está lavando sua vagina do jeito certo?

A nossa vagina é quase uma gata: consegue se limpar sozinha muito bem, obrigada. Seus zilhões de lactobacilos (aqueles da propaganda do Yakult!) trabalham para deixar tudo limpinho: essas bactérias deixam o pH da vagina ácido, o que dificulta o desenvolvimento de agentes patogênicos, como fungos ou vírus, além de produzirem substâncias tóxicas para esses agentes. Ou seja, fazem todo o trabalho de limpeza para que você possa ficar tranquila – vale reforçar que estamos falando da vagina em si, não da vulva (parte externa dos genitais).

que nem mocinha - limpar vagina

Só que, assim como é bom levar sua gatinha no veterinário para dar um banho mais completo, também é de bom tom dar uma lavada na sua pepeca. E é nessa hora que surgem muitas dúvidas: qual sabonete usar? Tenho que levar todo os dias? Mas e aquele cheiro desagradável? Por isso, convidamos de volta a nossa querida Bel Saide, médica especializada em ginecologia natural, que vai falar um pouco sobre a nossa higiene íntima.

Sabonetes

Exercício para vocês: entrem em uma farmácia e vão para a seção de “cuidados íntimos”. Agora, vejam só quantas marcas disponibilizam sabonetes específicos para essa região. São tantos que, para contar, vamos precisar de mais do que os dedos da mão. De acordo com a Bel, isso é pura besteira: “Não que eu ache ruim, mas, fora a nóia de nos dizerem que a buceta tem que cheirar a rosas, é uma despesa desnecessária para a maioria das mulheres”. Mas, se você gosta e se sente melhor assim, manda ver.

Só cuidado com os ingredientes: quanto menos, melhor. Quanto mais perfumado for o produto, maiores são as chances da sua pele ficar irritada. Então, escolha os de glicerina ou de azeite de oliva sem perfume. Os sabonetes de bebês também são uma boa opção, por serem mais suaves. E lembrem-se o que a Bel disse: sua vagina não precisa ter cheiro de rosas. Vagina tem cheiro e gosto de vagina, ponto final. Como diria nossa querida Tati Quebra Barraco:

que nem mocinha - limpeza da vagina

Outra coisa que vocês precisam prestar atenção são os produtos que prometem pH “neutro”. Para quem não lembra das aulas de biologia, pH é o “potencial Hidrogeniônico”, que mede o grau de acidez, neutralidade ou alcalinidade de uma determinada solução. Então, o que seria esse “neutro”? No caso, ter o mesmo pH da vagina, que é ácido (3,8 e 4,2). “Tenho amigas maravilhosas que produzem cosméticos naturais e elas já me afirmaram que é muuito difícil conseguir um sabão com esse pH. Ou seja, a maioria é só enrolação”, afirma Bel.

Sem sabonete!

Hoje em dia, muitas mulheres estão optando por lavar a dita cuja só com água — e não tem nada errado com isso. Para esses casos, Bel recomenda o uso de alguns chás, como barbatimão, camomila e cravo. Dê preferência para os chás feitos com ervas secas: coloque em uma panela com água quente, deixe ferver e depois coe. Quando esfriar, coloque em um frasco no banheiro e use no lugar do sabão. Além de limpar, essa infusão deixa um cheirinho bom e, de quebra, ajuda a prevenir “pererequites”, ou seja, inflamações que acontecem na região. Se você optar por esse tipo de limpeza, tem que fazer a cada 3 ou 5 dias (no máximo!).  

Leia também: Cuidados durante a menstruação

Frequência

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é necessário lavar demais a sua amiguinha. A vagina não é (e nem deve ser!) um local estéril, porque lá embaixo tem bactérias de sua flora natural. Se elas forem totalmente retiradas, isso vai causar desequilíbrio e o local estará mais propício para receber visitantes indesejados, que podem te causar doenças.

que nem mocinha - limpeza - vagina

 

Duchas, vapores e banhos especiais

Tem um tempinho que a atriz Gwyneth Paltrow foi manchete ao afirmar que fazia vapirização vaginal e que essa ducha, uma combinação de infravermelho e vapor de artemísia, não só limpa o útero como equilibrava os níveis hormonais femininos. Alguma palavra sobre isso, Bianca del Rio?

que nem mocinha - limpeza na vagina

“Baboseira!”

Além disso não ter fundamente fisiológico, mesmo que o vapor conseguisse entrar na vagina, isso seria nocivo. Seu útero não precisa ser lavado!!!!

E a vulva?

Por incrível que pareça, e ao contrário do que os comerciais afirmam, você não precisa de nada além da boa e velha água para limpar a parte externa dos genitais. Então, na hora do banho, é só passar a mão ou uma toalha limpa na área, de modo gentil para não machucar. Se você realmente fizer questão de passar um sabonete, opte por um suave e sem perfume. Todo e qualquer sinal de coceira ou ardor deve ser encarado como um sinal do seu corpinho, então troque o produto e veja se o incômodo permanece. Se permanecer, já sabem: um médico deve ser consultado.

Agora…

Como falei ali em cima, a vagina tem que ter cheiro de vagina e ponto final. Porém, se você sente que o cheiro está muito forte a ponto de incomodar ou está diferente do que era, procure uma médica. Pode ser sinal de alguma infecção, que requer um tratamento mais especializado.

Simples, não? Se vocês tiverem outras dúvidas sobre higiene íntima ou outros assuntos, é só comentarem ou enviarem um e-mail para contato@quenemmocinha.com 😀

2 comments

Deixe uma resposta