que nem mocinha - vagina tem cheiro e gosto
Corpo,  Crônicas,  Sexo

Vagina tem cheiro e gosto de vagina – e ponto final!

Cheguei chegando, bagunçando a zorra toda! Estava sumida, pois as férias chegaram e eu não conseguia pensar em nada além de relaxar e beber uns bons drinks. Voltei com histórias, novidades e tabus para compartilhar por aqui. Sim, se você leu o título e pensou que fui ousada… Senta que lá vem textão!

Antes de começar a pensar no texto de hoje, entrei no famoso Facebook e me deparei com um post, em um grupo que participo, de mulheres falando sobre um novo produto: Um batom para vagina. Oi? Como assim? E ai os comentários seguiram com outros produtos loucos como desodorante íntimo, lencinho umedecido, mil sabonetes com cheiro e cor até o bendito glitter (sim, glitter).

A minha primeira impressão, antes mesmo de ler mais sobre o tal batom, foi pensar: mais um produto para bitolar as mulheres! Mais um produto para fingir que a nossa vagina não tem cheiro, não tem gosto e deve ser vista como algo tabu. Até quando a mulher vai se deixar levar pela indústria machista?

Nunca vi homem comprar desodorante íntimo. Se você já dormiu com um cara com o pênis cheirando a orquídea, meu amor, chega no privado e me conta como foi. Corpo tem cheiro, pele tem cheiro, partes íntimas tem cheiro. É um fato físico. Não estou defendendo a sujeira, galera, a falta de cuidado e o desleixo. Isso não! Mas se você lava com sabonete, toma banho todo dia, se cuida e tem uma higiene íntima normal, você tá pronta pro sexo oral. Simples assim!

Mais uma vez eu falo: Somos animais, educados, poliglotas e andamos sobre duas “bases”, mas somos animais. E bicho sente cheiro, tesão, suor… tem cheiro. Quando o sexo é bom e a pele da pessoa tem calor e cheiro. Ai sim, estamos na vibe certa.

E ai você acorda e lê sobre desodorante íntimo, batom pra vagina, glitter vaginal, mil óleos com cheiro e gosto. Nada contra usar um gel de morango na hora H – pelo contrário, sou super a favor! Acho ótimo mudar um pouco as coisas, comprar produtos para esquentar as coisas. Meu problema é com uma indústria que quer mudar o cheiro natural da vagina. Ai não, para mundo, to descendo!

Eu já conversei com muitas ginecologistas e dermatologistas sobre os tais sabonetes íntimos e outros géis. Alguns chegam a fazer mal para as mulheres, pois mudam o ph vaginal, podem causar alergia e facilitar a entrada de bactérias e fungos, normalmente a famosa coceira da candidíase. Então muito cuidado na hora de comprar produtos e usá-los.

Mas a parte tabu está apenas começando. Agora, vamos além. O texto não é sobre produtos eróticos, nem novidades do mercado. É sobre o tabu do sexo oral feminino. E como a falta de vontade/proatividade dos homens faz com que nós mulheres nos fechemos cada vez mais. Achamos normal o cara não fazer, ou não gostar ou falar que não acha necessário. O nojo que muitos homens tem de fazer algo que deveria ser essencial ao prazer feminino faz com que as nossas “nóias” só aumentem.

que nem mocinha - vagina tem cheiro

Até quando a vagina vai ser um tabu? Precisamos falar da vagina e como tudo nela é natural – cheiro, gosto, formato, pelos, pontos sensíveis, clitóris e, sim, o orgasmo feminino.  Tudo vem dela, então , está na hora de respeitá-la! Que a Karol Conka me escute e me entenda, mas vou usar sua música (ou, como eu prefiro chamada, “hino”) Lalá para continuar esse texto.

“Eles ficam sem ação, quando a gente sabe o quer e já mete a pressão”. Sim, quantos homens fazem tudo e não chegam nem perto com a boca? Quantos sexos poderiam ser 20 vezes melhores se o oral fosse no mínimo considerado? Mas não, isso é demais! Às vezes, pedir ou insinuar a vontade de ser “bem atendida” pode ser taxado como mulher fácil, promiscua. Como assim, você quer que o cara faça em você o que você faz nele?  “Direitos de prazer iguais, mais compreensão!”.

Ironias a parte, as mulheres são ensinadas desde novas a dar prazer ao homem. A melhorar e fazer o que o cara quer na hora do oral. A ser levemente pressionada pra fazer do jeito “certo”, mais assim, mais rápido, mais devagar. Não vamos nem falar daquela mão na sua cabeça te pressionando, porque isso ai já é assunto pra outro texto! Quantas pegações no carro não trazem aquela frase ali, no canto do ouvido, aquele pedido direto da parte deles? Se você quiser, ok. Mas e quando você quer? Você pede? Você se sente tranquila em falar que quer? Ou você é mais uma na lista das mulheres que ficam na vontade, no desejo e na secura?! “Sem ser fake, então vai se deite. Se eu quero, respeite”. Reciprocidade, galera! 😉

Um fato é simples e direto: a mulher aprende desde o começo da vida sexual que o oral é importante, que o homem gosta e que ajuda a tudo fluir melhor. E quem ensina isso aos homens? ” Pouco importa pra ele se você também tá satisfeita”.

Então, meninas, não fiquem bitoladas com suas vaginas. Elas têm cheiro, tem sabor e se foram bem higienizadas, estão super aptas para um belo oral no final de semana. “Isso aqui não tá de enfeite”. Se o cara não curte, entenda o porquê primeiro e se você achar válido, converse com ele. Mas nunca, em hipótese nenhuma, desconsidere o sexo oral como parte do seu prazer e das suas vontades. Não fique bitolada comprando mil produtos para fazer com que sua vagina fique mais “aceitável” para o homem. Aceitável é transar e sentir que o cara quer te dar prazer e faz aquele oral de responsa, sem pressão, sem frescura e sem mimimi! Então mocinhas, se você ta com alguém que gosta e faz bem feito – arrasa menina, aproveite e curta cada minuto! Se não, vamos repensar isso ai, conversar com o gato e focar no prazer a dois?

Para os nossos leitores homens, Karol Conka deu o recado e eu apenas repito: “quebra esse tabu, isso não é nenhum favor”!

E se você quer ler mais sobre sexo oral depois desse nosso texto – temos ótimos textos. 😉

Bia Silveira

é jornalista, escritora nas horas vagas, louca das redes sociais e, como vocês vão descobrir através dos mil textos, super ultra tagarela. Sabe que veio sem aquele botão do resumo e do silêncio na sua fabricação. Ligada no 320volts, com a mente sempre em busca de algo novo, pode parecer meio curta e grossa, mas jura que tem um coração grande e paciência pra ouvir os problemas dos amigos. Se descobriu feminista em 2010, quando viajou sozinha para um intercâmbio e percebeu que seus pensamentos e suas ações incomodavam muita gente preconceituosa. Não gosta de começar discussões, mas se chamar para falar de assunto tabu, sai de baixo! Apaixonada por viagens, livros de romance água com açúcar, seriados do Netflix e gastar um dinheiro considerável com coisas de farmácia. Acredita que ninguém tem apenas uma metade da laranja nessa vida e que amor e relacionamento dão trabalho, mas valem cada segundo gasto! Confira as matérias escritas por ela aqui. Para entrar em contato com ela, envie um e-mail para bianca@quenemmocinha.com

3 Comentários

  • Mari

    Miga, é por isso que eu já chego soltando um “me chupa” ou sentando na cara dele meeiiixxmo! Ahahaha Sexo oral é vida e dou graças a Deus do meu namorado gostar – e muito – do negócio. Fico indignada como tem homem com “nojinho” ou não faz questão se, para eles, é essencial.

    • Bia Silveira

      Bia Silveira

      Mari, super concordo com vc!! Que bom que seu namorado arrasa e não tem nojinho!! Agarra o boy e já chega chegando! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *