Três é demais? Um breve guia do ménage à trois

Um é pouco, dois é bom, três é demais, certo? Erradíssimo na minha modesta opinião. Quem nunca fantasiou com um menáge à trois (com a combinação que for), pode pular essa série de posts. Mas será que essa pessoa existe? Honestamente, duvido.

Como fã ardorosa e declarada desta modalidade, decidi fazer um apanhado das minhas experiências e de amigas próximas e compartilhar com vocês. Ao final de cada texto, vou publicar pequenos relatos anônimos, como forma de encorajar aquelas que têm muita curiosidade e vontade, mas nunca tiveram coragem de embarcar numa bela foda a três. Porque só existe uma coisa melhor que ter e dar prazer a alguém: é fazer isso com outras duas pessoas.

A origem da expressão “ménage à trois” é francesa, e nada mais é que sexo a três. Quem já fez concorda quando eu sigo que é um verdadeiro banquete para os sentidos: imagens, cheiros, toques – tudo se multiplica. Acho um desperdício a pessoa vir ao mundo e não se permitir viver isso pelo menos uma vez, seja num relacionamento estável ou numa situação casual.

Para facilitar, decidi dividir a série entre os possíveis formatos do ménage, começando pelo mais clássico deles: duas mulheres e um homem. Muita gente acredita que isso é “o” ménage, ignorando que ele pode ser uma relação sexual entre três pessoas, seja a combinação que for – inclusive três pessoas do mesmo sexo. A única tríade que eu não poderei falar, por motivos óbvios, é a de três homens juntos. De resto, vou dedicar um post a cada uma das possibilidades e dar algumas dicas sobre como aproveitar cada um deles ao máximo. Se você ficar com alguma dúvida, pode escrever nos comentários, vou responder com prazer 🙂

que nem mocinha - ménage - 1

Acho importante dizer uma coisa: sou solteira há alguns anos. Minha experiência é a de uma mulher solteira e bissexual. Uma das minhas descobertas depois de me separar foi essa: tenho muito prazer no sexo com mulheres, mas também com homens, o que pode explicar minha predileção pelo ménage.

Certamente, estou ciente de que quando há um relacionamento, a conversa é fundamental. Esse será um prazer disponível para aqueles que se conhecem bastante bem. Será melhor desfrutado quando as regras e a comunicação for bastante clara entre as partes envolvidas. Isso pode evitar muitos problemas.

Então, vamos ao que interessa?

O ménage “basicão”: duas mulheres e um homem

Muita gente acha que menage é sinônimo dessa combinação. Sabem por quê? É o tipo mais aceito. O machismo de certa forma está presente nisso. Os caras raramente dizem não. Mesmo os que estão em relacionamentos estáveis e monogâmicos costumam ser mais abertos a essa proposta porque esta é uma fantasia masculina clássica, certo?

Mas… E a gente com isso?

Vocês já repararam que existe um estigma muito menor relativo à bissexualidade das mulheres? Duas amigas podem perfeitamente se beijar numa festa, e ficarem juntas com um cara. Isso trará consequências bem menos pesadas para nós, mocinhas, o que faz com que a possibilidade de transar a três quando são duas mulheres e um cara envolvidos seja muito mais tranquila e acessível.

Se você também tem curiosidade e vontade de transar com outra mulher (obviamente ter experiência prévia nesse assunto ajuda), sua interação no momento do sexo será muito mais intensa e direta com ela. Mas o nível dessa interação pode variar bastante: as mulheres podem se dedicarem a ficar somente com o cara, ou ir para o oposto: rolar uma interação muito maior entre as fêmeas da situação e o cara se limitar a olhar e a curtir o visual.

que nem mocinha - ménage - gif 1

“Vamos fazer um threesome!”

Cuidados!

• Já ouvi comentários sobre pessoas “sobrando” em ménages. Eu nunca vivi nada assim, e até tenho dificuldade para entender isso. Mas acho que uma conversinha pode evitar esse tipo de situação. Não custa nada falar o que cada um quer e ver como pode rolar, desse jeito ninguém sobra em nada.

• Acho muito chato quando chego nesse tipo de situação e o cara está com aquela postura “sou o máximo, estou aqui comendo duas gostosas”. Por favor, amigo, não seja essa pessoa. Se você tá se achando, tem certeza que tá mandando muito bem, use toda essa autoestima para dar prazer às mulheres que estão com você. Não seja exibido nem tagarela. É chato.

• Alguns caras se mostraram inseguros nesse momento! Calma, gatos, tem para todes. Deixa as minas se pegarem em paz que se você for esperto, vai aproveitar também. Nada de querer ficar dando ordem ou cortando a onda das minas, ok? Saiba o momento de interagir e o de aproveitar a belíssima paisagem.

• Se a proposta vier do seu namorado/marido/afins não faça para agradá-lo ou algo do tipo. Faça se você tem tesão de ver seu homem comendo outra, ou tesão dele te ver com outra mulher. E acredite: essa visão pode ser incrível e dar muito tesão. Claro que é preciso que você se sinta segura com essa mulher. Eu já deixei de ir pra cama com alguém quando senti o menor clima de competição. Nada pode cortar mais o meu tesão que isso.

• Sexo oral entre duas mulheres é maravilhoso. Mas se você considera esta técnica muito avançada, não precisa começar por ela, concorda? Uma das coisas legais do ménage é esse aumento das possibilidades para todos. Já ouviram falar do 69+1? Dá um Google 😀 E se você não faz ideia de como começar a brincadeira, dá uma lidinha no post que escrevemos sobre a primeira vez com outra mulher.

“Fiz um ménage”: Elas contam suas experiências

Comecei nesse lance de ménage com um cara com quem eu não tinha um relacionamento e uma garota de programa. Muita gente tem questões com a prostituição, mas esse não era o meu caso. Na verdade eu tinha vontade de realizar essa fantasia, e sabia que era um fetiche para ele. Ele me pediu para ligar para ela, marcar tudo; ele queria assistir essa cena. Esperamos ansiosamente. Ela perguntou se eu também queria interagir com ela, achei isso curioso, mas ela explicou que muitas mulheres não curtiam essa aproximação, o que definitivamente não era o meu caso. Ela era bonita e tinha uma pele muito macia. Foi tudo muito natural, nós dois já estávamos morrendo de tesão quando ela apareceu. Acho que o ménage não serve para um casal que tem muito ciúmes” R., 37 anos

“Conheci esse casal no Tinder, combinei tudo com ela. Nos encontramos num bar e conversamos bastante, inclusive sobre experiências anteriores que tiveram e curtiram. Eles estavam de carro, no caminho para o outro bar, eu e ela nos beijamos e aí decidimos ir direto para um motel. Achei curioso que ele obedecia estritamente as regras que ela ditou, mas compreensível: os dois eram namorados e eu estava ali para realizar uma fantasia que era minha, mas também deles dentro dos limites de uma relação estabelecida. Claro que as regras não nos impediram de ter prazer juntos, ainda bem!” J. 29 anos

que nem mocinha - ménage - 2

“Merda, isso me excitou”

“O melhor ménage da minha vida rolou num aniversário. Depois da festa, eu e dois amigos ficamos juntos. Não éramos só três pessoas numa cama. Ela já tinha tido uma história com ele. E eu estava apaixonada por ele, mas também tinha muito tesão nela. A gente já se cuidava há uns bons meses, já tinha rolado um beijo triplo antes, mas não passou disso. É uma situação bem diferente da de três pessoas sem roupa, e isso refletiu no sexo. A gente disse a ele com todas as letras: nós duas estamos no comando, ele não reclamou, não!” A, 27 anos

Eu e uma amiga fomos a uma festa e voltávamos para casa já na madrugada um pouco altas. Um cara muito gatinho passou de bike e a gente fez uma gracinha com ele. Ele deu meia volta na hora, um fofo, muito mais novo que nós duas. Minha amiga morava há poucos metros dali, compramos cigarros, e ela chamou ele para subir. Fomos os três mais a bicicleta pelo elevador afora, não demorou muito pra gente se beijar e começar a transar. Acho que já havia alguma coisa não dita entre nós duas, e aquele cara apenas catalisou esse tesão. Acho que ele mentiu a idade, mas não tem problema porque ele tinha uma pica deliciosa e nos comeu, a nós duas, até amanhecer.” C. 39 anos

Três mulheres juntas, isso também é um ménage, vocês sabiam? Semana que vem eu conto. Até lá!

Deixe uma resposta