• sexo com outra mulher

    Sexo com outra mulher: dicas para a primeira vez

    A primeira transa é um momento muito delicado na vida das pessoas. Afinal de contas, é o seu primeiro contato com o mundo real do sexo — uma realidade bem distante dos filmes de pornô que você já viu. Por mais que a gente saiba o que esperar, sempre fica aquele friozinho na barriga e, para não fazer nada de errado, você resolve se preparar para o que der e vier. Agora, e se você, mulher, que só teve relações sexuais com homens, resolve transar com outra mulher? Como se preparar para isso?

  • Não apaguem minha bissexualidade

    Hoje, dia 23 de setembro, é celebrado o Dia da Visibilidade Bissexual em todo o mundo. Se você não sabe o porquê dessa data ter tanta relevância, eu explico: a bissexualidade ainda é tratada como uma “fase”, de alguém que ainda “não se decidiu” se é hétero ou gay/lésbico. E isso, minhas caras, é uma grande palhaçada. A bissexualidade existe sim e o post de hoje é totalmente dedicado a ela.

  • Laranja é o novo fetiche

    Tinha me prometido que não ia mais escrever grandes reclamações sobre a fetichização da mulher lésbica. O último texto era o suficiente para deixar clara minha visão sobre o tema, para informar os leitores de como essa situação é problemática e para explicar como é possível parar com essa atitude ao entender e respeitar as diferenças da sexualidade de cada um. Mas aí a nova temporada de Orange Is The New Black chegou ao Netflix e coisas aconteceram.

  • Meu amor não é fetiche

    Entre as dez categorias mais procuradas no site Pornhub, lésbicas se encontra na primeira colocação. Aparentemente, cenas de sexo entre mulheres excitam diferentes públicos, incluindo o feminino, independente da sua sexualidade. Ainda assim, como homens são os maiores consumidores de pornografia, é fácil compreender que a pornografia lésbica mainstream é feita para o male gaze, ou seja, sua narrativa busca contemplar a perspectiva do olhar (e prazer) masculino e não se importa em objetificar as mulheres em cena.

  • 50 de nós

    Desde que tive a primeira informação sobre o ocorrido em Orlando fui preenchida por angústia, tristeza, desespero e medo. Foram 50 vítimas dentro da boate Pulse. O maior massacre ocorrido dentro do EUA, aconteceu numa boate LGBT, tão parecida com várias que existem na minha cidade e frequento com meus amigos. As boates são para muitos membros da comunidade LGBT, um dos poucos locais onde é possível se expressar livremente sem temer a vida. Infelizmente, Omar Mateen, decidiu acabar com a vida de quem tinha decidido apenas se divertir.

  • E elas viveram felizes para sempre

    A representação entre casais do mesmo sexo na televisão norte-americana continua pouco significativa. Em geral, as séries possuem poucos personagens pertencentes à comunidade LGBT e, quando possui, suas histórias não tem finais felizes. Nos últimos tempos, após a morte de 14 personagens lésbicas, a situação ficou tão desconcertante que a comunidade de fãs LGBT criou o movimento LGBT Fans Deserve Better. Entretanto, o episódio 18 da 5ª temporada da série Once Upon a Time trouxe um pouco de felicidade para seus fãs. Atenção: a matéria contém spoilers sobre OUAT.