Manda nudes: Sobre segurança e privacidade

Quem nunca ouviu a expressão “manda nudes” deve ter vivido debaixo de uma pedra nos últimos anos. O pedido é auto explicativo: uma foto sensual, com pouca ou nenhuma roupa, enviada pela Internet. Porém, essa prática levanta várias dúvidas em relação a segurança e privacidade que temos (ou não) na rede. Pensando nisso, a Coding Rights, organização que trabalha com a questão da privacidade, criou um guia para quem quer mandar suas nudes com mais segurança. Confira nosso resumo com as principais dicas desse manual.

Nudes não é sobre agradar os outros, é sobre agradar você

“Fazer e mandar nudes também pode ser uma prática de resistência prazerosa contra o machismo, o conservadorismo, o racismo e a heteronormatividade. Esse é um dos destaques do Manual que reforça algo óbvio, mas que muita gente ignora. A escolha da divulgação das suas nudes deveria ser exclusivamente sua. Por isso eles montaram esse guia, com estratégias e ferramentas para que as pessoas se sintam mais seguras na hora de enviar aquela foto mais caliente.

Nós e as mocinhas do Coding Rights compartilhamos o pensamento: devemos nos apropriar e ressignificar a linguagem pornográfica -, que é machista até o talo. Se você quiser publicar suas nudes, ninguém deveria usar isso contra você. Porém sabemos que estamos longe disso acontecer. Perdemos a conta de quantas garotas já se suicidaram depois que suas fotos “caíram na net”.

Privacidade

Parece que o conceito de privacidade se perdeu nesse mundo tecnológico. E nem estou falando apenas das nudes: de dados do Uber até informações bancárias, tudo já foi “vazado”. É o que comprova o portal MinhaSenha.com, criado por uma empresa de segurança brasileira, que revela quais senhas do usuário foram expostas nesses vazamentos de dados.

A questão é que algumas pessoas acreditam que a popularização da Internet fez com que a privacidade se tornasse coisa do passado. Afinal, se você não quiser se expor, é só não entrar em nenhum site, nem usar aplicativos. Não é bem por aí! Como falei no tópico acima, você tem o direito de ter uma vida e vivê-la da forma que achar melhor. Contanto, é claro, que não influencie nas escolhas de outra pessoa. Como diria o pessoal da Coding Rights, “privacidade é o poder de escolher quem tem acesso às nossas informações pessoais e em que circunstâncias”. Enquanto eles não nos respeitam, podemos exercer esse direito com as tecnologias que nós escolhemos e seguindo algumas dicas de segurança.

Dicas de segurança

1. Nudes “anônimas”

Quer enviar fotos sensuais? Evite mostrar seu rosto, tatuagens e marcas de nascença/cicatrizes que possam te identificar. Você pode não enquadrar essas partes do corpo ou usar aplicativos/programas de edição para escondê-las.

2. Fortaleça sua senha

Não é à toa que os sites pedem várias exigências para você criar sua senha. É combinação de letras maiúsculas e minúsculas, caracteres especiais, números… Não é exagero: quanto mais forte for a sua senha, menores são as chances de alguém descobrí-la. Não passe sua palavra-chave para ninguém e suspeite se alguém em que você não confia pedir seu celular emprestado. Um embuste da vida pode roubar suas fotos e instalar aplicativos “espiões”, que monitoram suas mensagem e fotos.

Sabe aquelas conexões públicas de wifi? Evite sempre que possível, pois podem ser armadilhas para roubar os dados dos usuários. Se não tiver jeito, entre apenas em sites e aplicativos que forneçam conexões criptografadas, identificadas com httpS na barra de endereço. E não se esqueça: todas as fotos e vídeos enviados dentro de um app acabam nos servidores de uma empresa ao qual você não tem acesso. Então, se alguém invadir esse sistema, pode achar suas nudes.que nem mocinha - manda nudes - gif 1

3. Escolha bem para quem você vai mandar

É horrível a gente dar esse tipo de conselho? É péssimo, porém necessário. Se você acha que “algo de errado não está certo”, não envie a foto. Nem todo mundo é uma boa pessoa e tem muito embuste nesse mundo. Às vezes, estamos tão envolvidas no momento ou o tesão tá tão grande, que ignoramos aquela vozinha da consciência. Aprenda a ouvir o que sua intuição diz, mocinha. Pode te livrar de algumas furadas.

E se eu fizer tudo isso e mesmo assim minhas fotos vazarem?

O Marco Civil da Internet possui um artigo destinado a punir a pornografia de vingança, ou seja, a publicação de fotos +18 com o intuito de se vingar de alguém. Esse alguém, como bem sabemos, costuma ser uma mulher. De acordo com a Defensoria Pública do Distrito Federal, a maior parte das imagens íntimas é vazada por ex-companheiros, geralmente inconformados com a separação. Ou seja, pornografia de vingança é um problema de gênero.

Voltando ao Marco Civil: sancionado em 2014, ele dispõe, no artigo 21, sobre a única exceção para que conteúdos sejam excluídos da rede sem ordem judicial. Isso é possível justamente em situações denunciadas por internautas que tiveram sua intimidade exposta na Internet. As empresas nas quais o conteúdo foi veiculado têm formulários que são preenchidos pelas vítimas para pedir a remoção dos arquivos. Confira o passo a passo:

que nem mocinha - manda nudes - guia segurança

Fonte: Portal Brasil

E lembre-se, mocinha: a culpa não é sua. Criminoso é quem divulgou sua intimidade e é ele quem deve pagar por isso. Psicólogos podem auxiliar a encontrar formas de lidar com o sofrimento ou até mesmo indicar um psiquiatra. Distúrbios como depressão e transtornos alimentares são consequências comuns em casos de pornografia de vingança.

Além disso, algumas instituições e ONGs também oferecem serviços de atendimento a vítimas. Gosto bastante do trabalho da Safernet Brasil, ONG que promove os direitos humanos na Internet. Nesses casos, a organização dá orientações jurídicas e psicológicas e sugere um modelo de carta para solicitar a remoção do conteúdo ao servidor da empresa/de Internet,  um dos direitos garantidos pelo Marco Civil. Se a vítima for menor de idade, eles encaminham uma denúncia às autoridades, já que se trata de pornografia infantil.

* Esse texto foi revisado pela mocinha Angélica Fontella <3

2 comments

  1. Brenda says:

    Ano passado meu namorado mostrou meus nudes pros amigos dele, eu nem precisei descobrir isso, ele mesmo me falou no meio de uma conversa como se fosse a coisa mais normal do mundo. O pior é que todos que viram meus nudes estudavam na mesma sala que (estávams no 9° ano do ensino médio), então é horrivel saber que eu passo o dia com um monte de pessoas que já me viram nua sem minha permissão. Pelo menos ele só mostrou e não passou pra eles então é menos mal.

Deixe uma resposta