Sexy, linda, feliz e gorda!

Pessoas gordas transam. Pessoas acima do peso gozam. Pessoas fora do padrão estético social são capazes de viver sua sexualidade de forma plena. Elas também amam, apesar de muitos esquecerem. O problema está em assumir que elas não fazem nada disso, em acreditar que o peso de alguém define toda sua existência. O preconceito social está no pensamento que determina o gordo como alguém incapaz de viver plenamente, apenas por ser gordo. A gordofobia traz dificuldades para os relacionamentos. Primeiro, porque a sociedade decide dar opiniões em assuntos que não os convém. Existe um esquadrão de pessoas dispostas a julgar como a pessoa gorda vive seus relacionamentos. Para muitos, é impossível se amar (e ser amado) sendo gordo. O direito a felicidade só é conquistado quando se encontra dentro de um padrão estético. Ou seja, o gordo só pode sorrir se estiver fazendo piada de si mesmo. É claro que isso afeta diretamente relacionamentos amorosos. Para a sociedade, um casal onde um é gordo e outro é magro, só pode existir se tiver algo além de carinho entre os envolvidos. Impossível que pessoas se interessem por algo mais que o corpo de alguém! Um casal onde ambos são gordos se merece.  Afinal, fundamental é ter um amor, mas não pode ser alguém de diferente padrão estético, porque já é querer demais. E como o casal é formado por pessoas gordas, é óbvio para todos que os veem, que eles precisam perder peso para terem um relacionamento realmente pleno. Ninguém pergunta se tais pessoas são infelizes ou se querem mudar. É assumido que é impossível amar, transar, se relacionar se for gordo. Sem a necessidade de disfarçar a gordofobia com discurso médico. “Ah, mas eu só quero que meu amigo seja saudável”, “Mas se eles se cuidassem não seria melhor para os dois?!” Não, moço! Seria melhor para todo mundo se você compreendesse que amor próprio e amor romântico nada têm a ver com sua opinião sobre o corpo do outro. Isso é só uma forma de controlar a aparência do outro, não tem nada de amizade ou de carinho. Até porque nem toda pessoa gorda tem problemas de saúde. Para além das complicações geradas pelos pré-julgamento sociais, temos de falar sobre a questão que aflige muitas mulheres gordas: a solidão. O esquecimento sobre a existência delas. Sim, muitos homens fazem sexo com mulheres gordas, mas não querem assumir para os amigos, para família. Mantém o relacionamento com a mulher fora do padrão enclausurado entre as paredes do quarto. Ele curte, gosta, volta. Mas jamais assume. A mulher gorda sofre preconceito dos outros e a vergonha por não poder assumir a pessoa que ama para seu círculo social. Os gordos fazem sexo. Eles também amam. Falar isso parece fora do comum, não? Estar fora do padrão estético aceito pela sociedade não significa parar de transar, amar, gozar. Melhor, não significa parar de se amar e viver. O problema não é o corpo da pessoa. É o seu julgamento sobre ela. Está na hora de retirar seu preconceito, porque chegou o momento de empoderamento! Você também pode gostar de…Cinco modelos de vibrador para você conhecerCinco dicas de role play para iniciantesBoudoir: Um ensaio que vai além do sensualCuidados durante a menstruação Leia também: