que nem mocinha - livros eróticos - prazeres sombrios
Nossa Opinião

[RESENHA] Prazeres Sombrios – Série Imortais

Faz tempo que não fazíamos uma resenha de livro, né? Confesso que sou muuuito chata livros sensuais. Muitos acabam apostando em cenas intermináveis e repetidas de sexo, o que fica chato depois de poucas páginas. Então, quando uma amiga, e também louca dos livros, disse que ia lançar um livro “mega hot”, fiquei meio assim. Ainda mais porque envolvia seres sobrenaturais, outro tema que, pra mim, já deu de tão saturado. Maaas missão dada é missão cumprida, e comecei a ler Prazeres Sombrios – Série Imortais, livro 2.

Eu sei, o título não é muito convidativo. Mas faça que nem eu: deixe seu preconceito de lado e se envolva com essa história. Você não vai se arrepender! 

Sobre Prazeres Sombrios

Tudo começa na Estônia, em setembro de 1790. Somos apresentadas a Sebastian Wroth, que está no seu leito de morte. Ele e basicamente toda sua família, que, assim como toda a vizinhança, não conseguiram sobreviver ao combo guerra com a Rússia + fome + peste. Quando estava prestes a morrer, seus irmãos, Nikolai e Murdoch, o transformaram em vampiro contra sua vontade. Desde então, Sebastian mora solitário em um castelo na Rússia, sem vontade alguma de viver uma vida imortal.

Tudo muda quando ele conhece Kaderin “Coração Gelado”, uma valquíria cuja missão é exterminar vampiros. E ela faz isso por motivos pessoais: viu suas duas irmãs serem mortas por um vampiro em um campo de batalha. Porém, por motivos que não entendemos a princípio, ela não pode mais sentir emoções – pelo menos até a noite que ela vai até o castelo onde Sebastian está para matá-lo. Por algum motivo, não só ela não consegue, mas também começa a sentir novamente. O mesmo acontece com o vampiro, que chega a conclusão que aquela valquíria só poderia ser sua Noiva. Basicamente, a alma gêmea dele.

E aí?

O encontro desses dois não poderia resultar em nada diferente de chuva de clichês. E aí entra a parte que eu revirei os olhos e cogitei parar de ler o livro.

que nem mocinha - resenha prazeres sombrios - gif 1
Tipo isso.

É muito meloso. Amor eterno, toda aquela tensão sexual brega e tal. E, para mim, a pior parte do livro: usaram a palavra “lança” para se referir ao pênis do cara. LANÇA. Não dá, gente. Depois dessa, deixei ele de lado e fui falar com minha amiga que tinha indicado o livro. Ela disse que entendia, mas que continuava indicando o Prazeres Sombrios porque era bom, principalmente a parte da Corrida do Talismã. Minha curiosidade não resistiu e resolvi dar uma segunda chance.

E muito sinceramente? Eu iria me arrepender se não tivesse dado. Tirando esse primeiro encontro, o livro é realmente bom! A tal Corrida é uma competição que reúne seres de todo o Lore (o mundo sobrenatural) e o prêmio poderá fazer com que Kaderin modifique o passado e o destino das irmãs. Preciso nem dizer que ela entra nessa com sangue nos olhos, né? O Sebastian vai atrás, com outro objetivo: conquistar o amor da valquíria. Porém essa missão vai ser bem mais difícil do que ele imagina.

Sobre os personagens

A Kaderin é focada, tem um objetivo e não vai desistir até alcançá-lo. Não é à toa que ela essa a assassina mais prolífica de seu coven. Durante toda sua vida, que é muito tempo mesmo!, se dedicou a livrar o planeta dos vampiros. A única vez que hesitou, antes de conhecer o Sebastian, acabou resultando na morte das suas duas irmãs. E ela é muito badass, sabe o que gosta e não tem medo de colocar o Sebastian no lugar quando ele passa dos limites.

– Você está me atrapalhando e empatando a minha vida. Nunca lhe contaram que as mulheres não gostam de homens que impõem a sua presença? Esse é um dos três broxantes de qualquer mulher. Pode acreditar, não é nem um pouco sexy.

que nem mocinha - prazeres sombrios - gif 2
Vai que é tua, garota

Já o Sebastian, tadinho, você fica com pena dele até metade do livro. Pensa assim: ele viveu nos anos 1700. As mulheres que ele conheceu na sua vida de mortal eram bem diferentes das atuais, ainda mais uma valquíria fodástica que não precisa de homem nenhum e faz o que bem entende, obrigada, de nada. Tem algumas partes que me deixaram meio revoltadas, porque ele age como se fosse dono da Kaderin ou como se ela tivesse que dar explicações para ele. Mas como ainda não achei um livro perfeito nesse sentido, a gente toca o baile. Pelo menos a valquíria não aceita esse lado dominador dele – quer dizer, não aceita fora da cama, porque nela…

– Porque meu plano é fazer você precisar de mim para isso. Se você sentir muito desejo – deu um beijo na clavícula dela –, quero que pense em mim de forma automática como o homem que poderá liberar todo o seu tesão.

Vale a pena?

SIM! Super vale a pena. O que eu mais gostei de Prazeres Sombrios é que ele tem uma história mesmo sem sexo – que é onde muitos livros sensuais “pecam”. Eu entendo que sexo vende, mas quando acontece de 10 em 10 páginas e não acrescenta em nada à história, cansa. Graças a Beyoncé, não é isso que acontece: depois do primeiro encontro dos dois, que é mega sexual, a próxima transa deles só rola no meio do livro. Claro que tem toda aquela tensão sexual que deixa tudo mais apimentado, mas meu ponto é que existe história em Prazeres Sombrios além do sexo. E é uma senhora história, cheia de reviravoltas, que te envolve e prende até o fim.

Resumindo… COMPREM PRAZERES SOMBRIOS AGORA MESMO! Por enquanto, ele só está disponível em e-book e a pré-venda do livro físico é só dia 4 de fevereiro. Alô, pessoal da Valentina: estamos super disponíveis para receber uma cópia do livro físico e sorteá-la para nossas leitoras, viu? ❤

Thayanne Porto

Jornalista de coração, alma e diploma, encontrou nas palavras o melhor modo de se expressar. Feminista em eterna construção. Apaixonada por livros, séries, drag queens e sua gata Julietta. Acredita que a revolução pode (e deve!) acontecer de dentro para fora - e por que não dentro de quatro paredes? Quer mandar um e-mail? Escreva para thayanne@quenemmocinha.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *