que nem mocinha -saúde intima - pompoarismo
Corpo

Dicas de pompoarismo para iniciantes

Quem nos acompanha no Instagram e no Facebook, sabe que eu recebi da sexshop Dona Coelha uma Smartball Uno. Quando eu abri a caixinha, fiquei muito confusa porque não fazia a menor ideia de como usar aquilo. Joguei no Santo Google e descobri que essa belezinha é utilizada nos exercícios Kegel. Você já deve ter ouvido falar deles, mas com outro nome: pompoarismo. Em poucas palavras, é uma técnica milenar derivada do Tantra que tem como objetivo fortalecer a musculatura do assoalho pélvico a fim de garantir mais prazer. Em 1950, o médico ginecologista Arnold Kegel (daí o nome) percebeu que mulheres que praticavam os exercícios tinham um melhor retorno no pós-parto,  além disso, tratava e evitava disfunções do períneo como incontinência e prolapso. Isso sem contar os benefícios sexuais, que vamos falar mais para frente.

Fiquei bastante animada, porque, há tempos, quero entrar neste universo do pompoarismo. Para não fazer nenhuma bobagem, mandei mensagem para a linda da Ana Cristina Gehring. Para quem não lembra, ela é fisioterapeuta pélvica, comanda o Vagina Sem Neura e já conversou com a gente sobre candidíase. Agora, ela está de volta para falar mais sobre essa prática e dar dicas de exercícios para iniciantes. Vem com a gente!

Relembrando o que é o pompoarismo

Como eu disse ali em cima, são exercícios íntimos simples. “Se praticados diariamente, garantem vários benefícios, como melhora da lubrificação, despertar dos pontos de prazer internos e orgasmos mais intensos”, afirma Ana. A profissional conta que iniciou seus exercícios há 14 anos, com dicas que leu em uma revista. Sua principal queixa eram os flatos vaginais, aqueles barulhos que acontecem durante a relação sexual, e em seis meses já não tinha mais do que reclamar. “É incrível ver a transformação que acontece após poucas semanas do início da prática”.

que nem mocinha - pompoarismo - gif do utero

Por depender da qualidade muscular, os exercícios devem ser feitos diariamente para cada vez você ficar melhor nisso. Fazer os movimentos só na hora do sexo não vale, viu? Os procedimentos exigem força, agilidade, coordenação, resistência e relaxamento. Se você quiser se tornar uma expert no controle vaginal, o ideal é procurar uma fisioterapeuta pélvica, para saber como está esta região e para aprender o exercício corretamente. Cerca de 30% das mulheres não sabem contrair certinho sua musculatura.

Vale para todo mundo?

Todas as mulheres podem fazer, mas não de todos os jeitos. Aquelas que usam DIU ou que são virgens podem fazer os exercícios, inclusive aqueles com acessórios. Já as gestantes, por exemplo, só devem usar as ben-wa e cones vaginais se tiverem indicação. A Ana não indica, porque a musculatura já está fadigada pelo peso do bebê. Mas, após 40 dias de pós-parto, eles já podem ser incluídos. Mulheres que apresentam alguma doença ou disfunção também devem consultar um médico antes de se jogarem no mundo do pompoarismo.

Dicas de exercícios

1. Você e seu dedo

Lave bem as mãos e seque direitinho. Agora introduza o dedo na vagina e faça o movimento como se quisesse segurar o xixi, depois relaxe. Conseguiu sentir seu dedo sendo pressionado pelas paredes vaginais? Muito bem! Tente fazer em sequência, contraia e solte cerca de 15 vezes, sem segurar a contração. Chegando ao final, relaxe durante um minuto e repita a sequência mais duas vezes. Faça uma ou duas vezes ao dia, não mais do que isso.

2. Usando as ben-wa (ou smartball)

A fisioterapeuta pélvica indica que você use durante o banho, porque fica mais fácil de higienizar no final, mas não é obrigatório. O exercício é bem simples: introduza cerca de 5 cm do acessório, deixando o fio de fora, e fique com ele por, no máximo 20 minutos sem usar calcinha. “Não se preocupe que é impossível de perder o acessório lá dentro e o exercício ajuda porque é um esforço muito grande manter as bolinhas ali”.

3. Durante o sexo

Durante a relação você pode incluir esse movimento de contrai e solta, enquanto o pênis faz o movimento de vai e vem. Essa manobra é conhecida como “pulsar” e é a mais fácil de ser praticada. “Tenho certeza que seu parceiro vai ficar gamado, além de aumentar a ereção do seu clitóris acentuando seu prazer”, afirma Ana. Assim que você ficar boa nisso, você pode se aventurar e tentar segurar a contração por cerca de 5 a 10 segundos, tudo depende do quanto a sua musculatura está ativa.

Para quem quiser se aprofundar, a Ana lançou um manual de exercícios íntimos para os 21 primeiros dias de prática. É ótimo para criar o hábito e custa apenas R$ 6,80. Além disso, em março, a profissional fará eventos online e palestras em Belo Horizonte, Curitiba, Nova Prata e em Porto Alegre para celebrar o Mês da Mulher. Quem quiser saber mais informações, é só seguir @vaginasemneura no Instagram.

 

* Esse texto foi revisado pela mocinha Angélica Fontella <3

Thayanne Porto

Jornalista de coração, alma e diploma, encontrou nas palavras o melhor modo de se expressar. Feminista em eterna construção. Apaixonada por livros, séries, drag queens e sua gata Julietta. Acredita que a revolução pode (e deve!) acontecer de dentro para fora - e por que não dentro de quatro paredes? Quer mandar um e-mail? Escreva para thayanne@quenemmocinha.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *