Chega de vergonha: vamos falar do peido vaginal

Atire o primeiro OB quem nunca peidou pela vagina. Já vou começar a passar conhecimento para vocês: O tal “peido vaginal” se chama oficialmente “flato vaginal”.  Esta aí o nome científico do barulho mais comum durante o sexo – depois do gemido, é claro.

O engraçado, e triste ao mesmo tempo, é que esse assunto não é recorrente nem entre os casais , nem com as amigas. O pum é visto como uma coisa tão suja e vergonhosa que a gente tem vergonha até de comentar. Vamos desconstruir isso? Acabar com mais um tabu na cama?

Primeira coisa para acabar com essa vergonha é entender o que esta acontecendo no seu corpo. Pense na parede da sua vagina como um burrito sem recheio (sério, pode pensar, juro que funciona). Sem o recheio você consegue colar os dois lados. Essa é a parede da sua vagina, amiga.

Quando você introduz algo (um pênis, o dedo, um vibrador, o que for),  você separa as paredes da vagina. Assim, dependendo da posição e da rapidez que esta acontecendo o entra e sai , vai entrar ar entre a parede da sua vagina e o pênis. Só que sua parede vai querer voltar a manter o contato com o pênis, fazendo assim o ar ser expulso. Coisas da biologia…

que nem mocinha - peido vaginal - 1

Quanto mais você sabe..

A única maneira de acabar com a vergonha é: relaxar. A pessoa que esta ali com você entendeu o que aconteceu, não precisa justificar nada. Claro que pode aparecer alguém meio lento, mas ai você dá a explicação didática do burrito e ri um pouco junto. Rir é sempre um bom caminho. Aconteceu? Ri um pouco. Sexo não é só tensão e aquela coisa carnal-animal louca. Rir de si mesma na cama tira um pouco a tensão, deixa toda a situação mais natural e pode te ajudar a relaxar e até encontrar algo mais prazeroso.

Se o cara mesmo assim não entender, achar “nojento” ou algo assim, só temos uma coisa a dizer:

que nem mocinha - peido vaginal

Claro que se mesmo assim você ainda quer evitar o tal peido vaginal, aí vão as dicas:

  • Posições mais “complexas”, como de quatro e frango assado, causam mais flatos vaginais. Fique nos tradicionais papai e mamãe ou de ladinho; nessas posições o pênis sai menos, não dando chance para o ar entrar.

  • Aprenda a controlar sua MAP (musculatura do assoalho pélvico). Não precisa virar a mestre do pompoarismo, apenas desenvolva um controle de contração bem simples. Assim você vai poder contrair quando for trocar de posição, não deixando o ar entrar. Agora, se você quiser aprender mais sobre pompoarismo, é só clicar aqui.

  • Se não quiser contrair, use os dedos. Quando trocar de posição, coloque um ou dois dedos na vagina, o ar vai sair e não ocorrer o barulho.

É claro que essas dicas são úteis, mas a maior que posso dar é: relaxe e não siga nenhuma delas. Nós, mulheres, crescemos tendo que rejeitar nossas vaginas. Não pode marcar na roupa, fede e você precisa ter toda uma higienização diferente para essa parte do corpo; porque pelo é nojento e você precisa todo mês sofrer uma mutilação para arrancar eles. Nós crescemos odiando nossa vagina, acreditando que elas são nojentas. A sociedade machista que vivemos nos inibindo tempo todo, não deixe o patriarcado regular quais os barulhos aceitos durante o seu sexo.

Relaxe (já falei mil vezes isso) vai transar, fazer barulho e ser feliz.

Espero ter ajudado com esse texto, nem que seja para você descobrir que não está sozinha. Peido vaginal é normal e só quebra o clima de algo que já não estava bom.

5 comments

Deixe uma resposta