que nem mocinha - pantynova - capa
Corpo,  Sexo

Pantynova: O sexshop da mocinha do futuro!

que nem mocinha - publipost - bolinhas eróticas

 

Você tá se sentindo ousada e resolve que chegou a hora de dar uma incrementada no acervo de brinquedos eróticos. Aí, você vai, pá, entra em diversos sites de sexshops e percebe que é tudo igual. Vários enfileirados, que não variam muito e com uma estética já previsível, muitas vezes trabalhadas no fetiche masculino. Chato, né? Foi então que, para minha agradável surpresa, eu descobri a Sex Shop Pantynova. ♥ A marca foi criada pela Iza e Lola e, quanto mais eu lia para escrever esse texto, mais eu queria ser amiga delas. Elas são o exemplo perfeito de pessoas que, descontentes com o que estavam vendo no mercado, foram lá e criaram elas mesmas os produtos que gostariam de ter. E, olha, eu também quero. 

O mercado é deles, mas nós vamos fazer do nosso jeito

Não é preciso dizer que o mercado sexual como um todo é dominado pelos homens. Na verdade, eles dominam todo o mercado de trabalho, mas isso é papo para outro texto. Isso se reflete na indústria erótica com produtos muito focados no prazer masculino e poucos voltados para o prazer feminino. Mesmo os produtos “para mulheres” são trabalhados sob o ponto de vista masculino – tipo os filmes pornôs lésbicos, que servem mais para o prazer masculino do que para qualquer outra coisa.

Por isso, me surpreendi tão positivamente quando entrei no site da Pantynova. Ele é muito agradável aos olhos e, num primeiro momento, parece muito mais um blog de sexualidade do que uma loja de produtos eróticos. Na verdade, é um pouco dos dois e eu vou falar sobre isso mais pra frente. Isso faz com que a consumidora se sinta muito mais confortável, o que eu acho incrível. Você não quer pegar o consolo, colocar no carrinho e acabar logo com isso. As ilustrações, dicas, contos eróticos e as confissões do #hersecret tornam tudo mais bacana. No fim, parece que você está comprando os produtos de uma amiga.

Sério, gente, olha só esses detalhes

que nem mocinha - pantynova - produtos1
(Créditos: Site da Pantynova)

Passei um bom tempo lendo sobre as fundadoras, sobre a marca e, claro, dando uma voltinha no site para entender mais sobre a Pantynova. O que mais me chamou atenção foi o cuidado com os detalhes. Elas poderiam muito bem ter tirado fotos dos produtos com fundo branco e era isso aí, vlw flw. Mas essas imagens bonitas fazem com que a loja seja exatamente o que a Iza e a Lola tinham em mente: um ambiente onde a mulher se sente segura e representada.

Outro elemento que faz parte do site são os desenhos, que retratam diferentes tipos de corpo e são muito bacanas. “Quem faz é o Derek, um amigo nosso”, conta Lola. “Nós passamos o tema do conto erótico ou segredo e pedimos que ele desenhe de acordo com o que pensamos para aquela ilustração. Era só para ser um teste, mas a Izabela e eu decidimos manter como parte da nossa comunicação”.

que nem mocinha - pantynova - desenhos
(Créditos: Site da Pantynova)

Conta para a gente! – O sucesso do #Hersecret 

Então, vocês leram quando eu disse que fiquei um bom tempo navegando pelo site? A verdade é que eu fiquei um bom tempo numa seção específica, o #Hersecret. É um espaço para as mocinhas abrirem seus corações e compartilharem segredos, desabafos e aflições sem medo de julgamentos. Tudo isso de forma anônima e com a garantia: nenhum dado é armazenado! 

Durante o processo de criação do Sex Shop Pantynova e dos produtos, nós fomos contando com a colaboração de várias mulheres. De costureiras até fotógrafas, e a maioria delas acabavam confidenciando segredos para nós e pedindo a nossa ajuda. As perguntas vinham carregadas de vergonha, e para algumas delas nós nem tínhamos uma resposta exata para dar, apenas um conselho, e isso parecia tirar um peso grande de cima dessas mulheres – Lola.

A ideia do #Hersecret surgiu a partir de um pensamento que nós super compartilhamos aqui no Que Nem Mocinha: abrir a discussão sobre sexo, fetiches e desejos. Da mesma forma que Iza e Lola, nós também queremos incentivar as mulheres a se ajudarem e a lidarem com a sua sexualidade de forma leve, natural e divertida. Quanto mais mulheres se juntarem a esse propósito, mais rápido chegaremos ao nosso objetivo! ♥

Todos os envios são aceitos – contanto que não seja nenhum troll, claro! – e os temas são variados. Tem história de mulher que se descobriu demisexual – pessoa que só faz sexo com alguém por quem nutre sentimentos – e até de saída do armário. A maioria dos desabafos são comentados por outras mulheres, que dão suas opiniões e palavras de incentivo/carinho.

que nem mocinha - pantynova - gif cardi b
“Você não precisa ser uma mulher como eu para eu te encorajar, te dar apoio e dizer ‘vai, gata, continue assim'”

Dos strapons aos dildos

Para entrar no mercado, as duas realizaram uma pesquisa com mais de 500 mulheres. E quanto mais elas se inseriam no mercado erótco, mais percebiam que aquele espaço não era feito para nenhuma mulher, muito menos as lésbicas. “Confesso que quanto mais pesquisávamos, mais éramos tomadas por fúria e vontade de mudar tudo aquilo”. Daí a Pantynova, que, originalmente seria apenas uma marca de strapons, digievoluiu para uma marca de dildo, vibrador e outros produtos de sex shop

Hoje em dia nós lidamos com essa barreira da forma mais efetiva; a derrubando, ocupando o nosso espaço e trazendo outras mulheres com a gente – Lola. 

A princípio, o foco da Iza e da Lola era na mulher lésbica, cuja sexualidade é muito pouco trabalhada. Afinal, para a nossa sociedade, elas servem apenas para o prazer masculino. 🙄 O resultado da pesquisa, porém, mostrou que não eram só as lésbicas que se sentiam ignoradas pelo mercado erótico, mas a maioria das mulheres de modo geral. Por isso elas resolveram abrir a Sex Shop Pantynova para todas as mocinhas. Ainda bem!

Lembra do que eu disse sobre a atenção aos detalhes e ao bem-estar da mulher? Pois bem, você pode comprar as calcinhas e usá-las sem os consolos. E sério: as calcinhas são muito bacanas e parecem ser bastante confortáveis. Se alguma das nossas leitoras já usou, por favor, deixe sua opinião nos comentários! Ou seja, você pode ir pro date já toda trabalhada na maldade, caso role algo mais intenso. E, se não rolar, você estará maravilinda usando a sua Pantynova. 😉

que nem mocinha - pantynova - calcinhas
(Créditos: Pantynova)

Tá, mas como os strapons são feitos?

“Com muito amor e alegria”, garante Lola. Se amei? Amei. ♥ A Iza cuida do desenvolvimento da linha de vestuário e a Lola, da linha de dildos. Todos os strapons são feitos no Brasil e por mulheres – mais um motivo para essa marca estar nos nossos corações. O processo é igual ao da confecção de vestuário: “primeiro, riscamos, depois, cortamos, vai para a costura e, por fim, fazemos o controle de qualidade”. 

O strapon demorou um tempão para sair do forno porque elas queriam um produto que fosse tão lindo como uma calcinha sem perder a funcionalidade do strapon. Foram meses de testes e desenvolvimentos, muitas meninas ajudaram com os testes. Nisso, só temos uma coisa a dizer: nos chamem para testar os próximos! 🙋‍♀️ Hoje, são dois modelos oferecidos: um de cintura alta e outro de cintura baixa.

que nem mocinha - pantynova - strapon
(Créditos: Site da Pantynova)

O retorno? De acordo com Lola, foi inacreditável: “Apesar de todo esse estudo e das respostas positivas que eles nos trouxeram, a gente estava com o pé atrás, sabe? Medo do fracasso? Talvez seja um sentimento comum para quem abre um novo negócio.” O medo foi embora na primeira semana do lançamento! “As consumidoras curtem muito os strapons e acho que vai além disso, sabe? Não é só porque usamos o melhor material e por causa da qualidade do strapon, acreditamos que elas se conectaram com a Pantynova”.

Pantynova e a atenção à sexualidade feminina

Uma das características da sex shop Pantynova que mais se conectaram com o Que Nem Mocinha é como elas prezam e se importam pela sexualidade feminina. Tudo a ver com a gente, né? Na seção “Revista”, vocês podem encontrar dicas para diversos momentos – desde roupitchas para sensualizar no rolê, até um guia completo de vibradores. Para as mocinhas que preferem o formato áudio, tem podcast também! O objetivo é ir além de um sex shop e se tornar um portal de sexualidade feminina.  Entenderam por que a gente se amarrou na ideia da Pantynova e nas mocinhas envolvidas [em substituição a: “por trás dela”, para evitar o trocadilho. rs]?

Esse texto foi revisado pela mocinha Angélica Fontella <3

É isso aí, mocinhas! Vocês já usaram a Pantynova ou algum strapon? Conta para gente como foi a sua experiência!
Thayanne Porto

Jornalista de coração, alma e diploma, encontrou nas palavras o melhor modo de se expressar. Feminista em eterna construção. Apaixonada por livros, séries, drag queens e sua gata Julietta. Acredita que a revolução pode (e deve!) acontecer de dentro para fora - e por que não dentro de quatro paredes? Quer mandar um e-mail? Escreva para thayanne@quenemmocinha.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *