8 textos de mulheres incríveis que você precisa ler

No Dia Internacional da Mulher, somos bombardeadas com um bando de propagandas que exaltam nossos atributos: nossa força, compaixão, inteligência… Tudo, claro, com o intuito de vender, mas essa crítica fica para outro dia. Então, para esse dia, fiquei me perguntando se realmente fazia sentido escrever mais um textão da vida. No lugar disso, separei oito textos de mulheres incríveis que trazem pontos mega interessantes sobre o que é ser mulher, nosso corpo, sexualidade e identidade. Confira: 

Por que a sexualidade da mulher é tratada como questão de saúde?

Lais Modelli, da Revista AzMina

Já parou para pensar porque nossa sexualidade é tratada da maneira como conhecemos? No texto, Lais vai láááá trás, desde o “início” da humanidade e faz uma análise histórica de babar, chegando até o presente. Entendemos como a disseminação de mitos sobre a sexualidade feminina influenciou o modo como nós vivemos, e porque as mulheres passaram tanto tempo sem saberem sobre o próprio corpo. Afinal, não foi até bem recentemente que a ginecologia se tornou uma especialidade da medicina – e, no início, ela só encarava e estudava o corpo da mulher como um meio reprodutivo.

Depois, ela aborda as visitas ginecológicas, como a Internet se mostrou uma aliada (ou inimiga) na hora da autodescoberta. Sim, é um texto bem grandinho, mas vale a pena ler até o fim.

Desculpe o transtorno, preciso falar da Fernanda Gentil

Bianka Carbonieri, do Sapatônica

Quando Fernanda Gentil assumiu o seu namoro com a também jornalista Priscila Montandon, a Internet foi à loucura. Nesse texto, Bianka fala sobre como isso afetou a representatividade das  mulheres lésbicas e bissexuais, tema sempre importante de ser reforçado. Imagina só: em um país em que aproximadamente 40% dos LGBTs relataram ter sofrido discriminação no trabalho, ver uma das jornalistas mais carismáticas da TV aberta assumindo um relacionamento com outra mulher é um pequeno gás para continuar lutamos pelo nosso espaço.

Seis conselhos que você daria a sua filha no trabalho

Um dos espaços em que as mulheres mais lutam pelos seus direitos é o ambiente de trabalho: apenas dois setores econômicos estão próximos da equidade de gênero. O direito de trabalhar só nos foi dado muito recentemente (e depois de muita luta nossa), então é óbvio que encontraríamos desafios nesse caminho. Então, se você pudesse dar conselhos para sua filha superar esses obstáculos, quais seriam?

Desconstruir a maternidade romântica é nosso papel

Julia Harger, do Vegana é a mãe

Mães são seres perfeitos. Conseguem fazer tudo: cuidam da casa, do bebê e, em alguns casos, equilibram isso com trabalho. E fazem tudo isso com um sorriso no rosto, sempre de bom humor – afinal, que benção divina ser mãe! Não pode reclamar, viu?

Só que não. Ser mãe não é só felicidade; mães são pessoas, têm sentimentos – e nem todos são bons. Esse texto é um verdadeiro tapa na cara daqueles que insistem em romantizar a maternidade, e é nosso papel acabar com isso.

 A mulher branca e o feminismo negro

Gabriele Lima, em Blogueiras Negras

Enquanto mulher branca, nunca saberei o que as negras passam e por isso sei que elas devem ter suas próprias demandas e reivindicações. Algumas linhas do feminismo dizem que isso é besteira, que temos que nos unir e esquecer nossas diferenças, porque estamos todas no mesmo barco. Surpresa, ou não!, essas linhas são compostas, na sua maioria, por brancas.

Gabriele fala justamente sobre o nosso papel nessa luta, usando nossos privilégios para beneficiar as mulheres negras na sua luta antirracista. Nós como aliadas, nunca protagonistas. O que acontece, no entanto, é o que eu falei ali em cima: muitas mulheres brancas encaram a questão racial como birra e disputa, atrasando em vez de ajudar. E nós temos dificuldade de reconhecer isso, mas precisamos estar cientes que muitas vezes assumimos sim esse papel. Só assim podemos mudar as coisas.

Como a “liberdade sexual” me levou ao abuso

Autora anônima, para a Revista AzMinas

Quando eu li esse texto/desabafo pela primeira vez, senti um aperto gigantesco. A sensação de ter alguém arrancando o meu coração pela garganta não tinha outra explicação além do óbvio: eu me identificava com aquelas palavras, e essa identificação tão crua me deixou mal.

Quando eu era mais nova, achava que a liberdade sexual significava transar loucamente por aí. Isso me levou a transar sem vontade, a me sentir culpada se não fizesse o cara gozasse – mas não ficava mal se eu não gozasse. Afinal, nem sempre mulher goza. Normal.

Não era normal.

Levou um bom tempo para perceber que, na verdade, essa liberdade significava, principalmente, dizer não. Respeitar suas vontades e dizer não se você não está afim de fazer alguma coisa. Me dar conta disso e trabalhar esse aspecto, com ajuda da minha psicóloga, me faz cada vez mais livre.

Porque o feminismo é tão necessário

Luciana Gontijo, para o HuffPost Brasil

Depois de conquistarmos tanto direitos, como o aborto legal em alguns países, o direito ao voto e a contracepção, muitos se perguntam porque o feminismo ainda é necessário. Nesse texto, Luciana explica o porquê.

Spoiler alert: porque as pessoas ainda nos chamam de “feminazi”. Porque não ganhamos o mesmo que os homens, mesmo tendo as mesmas formações e exercendo os mesmos cargos. Porque, quando uma mulher sofre algum topo de violência sexual, as perguntas giram em torno da roupa que ela estava usando. Porque um acusado de assédio sexual ganha o Oscar e um assassino de mulher sai da prisão com propostas para trabalhar em nove clubes de futebol, sendo dois da Série A.

A primeira vez que me chamaram de gorda

Pense em cinco pessoas bonitas. Agora, responda para si mesma: quantos quilos essas pessoas pesam? Ser gordo, na nossa sociedade, é algo ruim, nojento. A Polly, do incrível Lugar de Mulher, fala sobre a primeira vez que a chamaram de gorda – e sobre os sentimentos que isso causou nela.

O seu peso não é problema. A Carol Dias já falou sobre esse tema aqui no blog, em Sexy, linda, feliz e gorda! A gordofobia é real, faz com que muitas meninas tenham distúrbios de alimentação e chegam até ao suicídio.

Essa foi a nossa lista! E você, quais textos acha incríveis e que todo mundo deveria ler? 

Deixe uma resposta