Vem saber mais sobre a camisinha feminina! ❤

Sabem o que eu percebi? O Que Nem Mocinha existe há quase um ano e meio e nós nunca tínhamos falado sobre a camisinha feminina! Um absurdo que será corrigido agora, caras leitoras. Esse método contraceptivo, apesar das suas altas taxas de sucesso, é que nem caviar: nunca vi, nem usei, eu só ouço falar. Acredito que o mesmo aconteça com vocês, não? Por isso separei cinco alguns fatos que vão mudar o modo como vocês veem esse tipo de camisinha: 

Começando pelo básico: Como usar

É bem simples: a camisinha feminina deve ser colocada da mesma forma que um absorvente interno ou diafragma. Você pode inserir o preservativo deitada, sentada ou com uma das pernas levantadas. Depois, você vai dobrar um dos anéis, aquele com fundo, e inserir o máximo possível na sua vagina. O lado que não tem fundo fica do lado de fora, cobrindo a vulva (parte externa da vagina). É por ali que o pênis/dedo/afins entra. Para facilitar, aqui está um vídeo com o passo-a-passo:

Protege mais que a masculina

Tanto a camisinha feminina quanto a masculina possuem 98% de eficácia (se usadas corretamente). Então por que falamos que a versão para mulheres protege mais? Simples: ela é mais eficaz na prevenção contra doenças sexualmente transmissíveis, como a sífilis e o HIV. Por abranger uma área maior da genital, como os grandes lábios, ela também protege do HPV e da herpes, que podem ser transmitidas pelo contato com a pele.

E se vocês quiserem usar proteção extra – sabe, só para garantir –, nem pensem em usar a masculina e a feminina ao mesmo tempo. Com o atrito entre as duas, é quase certo dos materiais rasgarem. Se você quiser se proteger além da camisinha, dá só uma olhadinha em outros métodos contraceptivos.

A camisinha feminina é distribuída de graça pelo SUS

Uma das reclamações mais comuns sobre a camisinha feminina é o preço. E, bem, não deixa de ser verdade: enquanto um pacote com três camisinhas masculinas não passa de R$ 5, um pacote com uma camisinha feminina passa facilmente dos R$ 10. O lado bom é que o Ministério da Saúde distribuiu camisinhas femininas pelo SUS desde 2012. É só chegar no posto mais perto da sua casa e ver como faz para pegar uma.

que nem mocinha - camisinha feminina - 1

Nossa reação quando algo bom é de graça

Se joga no lubrificante!

Em relação ao nosso bom e velho amigo lubrificante, a camisinha feminina dá de 10 a 0 na masculina. Além de ser melhor para o sexo vaginal, ela pode ser usada com qualquer tipo de lubrificante. A masculina, para quem não sabe, só pode ser utilizadas com os que são a base de água.

Sem “quebra clima”

Você tá lá, no meio da pegação, e ter que parar para procurar o preservativo é meio brochante. Essa é uma das vantagens da versão feminina da camisinha: ela pode ser colocada até oito horas antes da relação sexual, sem afetar em nada a sua eficácia. Então vocês podem sair da pegação e ir para a ação sem nenhuma pausa. E se ele/ela reclamar que a camisinha feminina não é bonita, bem… Podemos concordar que a masculina também não é, certo? E se isso for um impeditivo para a pessoa continuar, dê graças aos céus. Isso significa que ele ou ela já não valia a transa de qualquer modo.

que nem mocinha - camisinha feminina - 2

E então, mocinhas, o que acharam? É mais um método contraceptivo que, além de prevenir a gravidez, ajuda a combater as DSTs! Bora se jogar sem preconceitos? 

Deixe uma resposta