Erika Responde: Sexo na gravidez

Olá meninas, tudo bem?

Hoje tenho uma perguntinha que ainda é tabu no mundo feminino e masculino: Sexo e gravidez. Vamos lá?

Descobri recentemente q estou grávida, estou de 6 semanas, e confesso q minha libido aumentou muito…. queria saber se existe alguma restrição para q eu e meu marido termos relações sexuais.

Ele esta temeroso, mas eu não, não mesmo… RS

Bom, vou tentar abordar dois aspectos no post de hoje: físico (biológico) e o psíquico, até por que ambos são regentes da dúvida de nossa querida leitora.

Se a gravidez estiver transcorrendo normalmente o ato sexual pode ser praticado. Mas se você tiver algum problema durante a gravidez, como placenta prévia, sangramentos, descolamento de placenta, ou se já sofreu abortos espontâneos, fale com o médico antes.
É aconselhável usar preservativo e evitar contato com o sêmen, devido ao risco de infecção por doenças transmitidas por ele, entre elas a zika. A transmissão também se dá através de outras secreções genitais. Ou seja, considera-se que a eventual exposição ao vírus possa ocorrer no sexo vaginal, anal e oral e mesmo ao compartilhar brinquedos sexuais.
Se tudo estiver correndo bem, sexo durante a gestação é até positivo, porque fará você se sentir bonita e valorizada. Além disso, contribui para um relacionamento saudável entre você e seu parceiro.


Pesquisas mostraram inclusive que não há ligação entre sexo em uma gravidez normal e o nascimento de crianças prematuras. O ato sexual  não vai machucar o bebê, mesmo que seu parceiro fique por cima. O espesso tampão de muco que fecha o colo do útero ajuda a protegê-lo contra infecções. O saco amniótico e os fortes músculos do útero também protegem o bebê. Pode ser que depois do orgasmo o bebê fique meio agitado, mas é porque seu coração está batendo mais rápido, e não porque ele saiba o que está acontecendo ou sinta algum tipo de dor.
Para algumas mulheres o fato de estar grávida o sexo fica melhor ainda. O aumento do fluxo sanguíneo na região da pelve pode fazer os órgãos genitais ficarem mais irrigados, o que intensifica a sensibilidade e até o orgasmo. Mas essa mesma irrigação provoca em algumas mulheres uma sensação meio desagradável depois da relação sexual. Além disso, algumas grávidas sentem cólicas durante o ato sexual ou depois do orgasmo.
Seus seios podem também estar mais sensíveis ou doloridos ao toque, especialmente no primeiro trimestre. O desconforto geralmente melhora, mas é possível que a sensibilidade permaneça.
Para certas gestantes a mudança é ótima, enquanto para outras é desagradável e leva a nem quererem ser tocadas na região.
Avise o seu parceiro se alguma coisa incomodar, mesmo que seja algo que vocês sempre faziam juntos. Às vezes é preciso ajustar suas atividades eróticas e tentar outras formas de estimulação que sejam prazerosas para os dois. Mas o desejo do seu parceiro pode ser prejudicado pela preocupação dele com sua saúde e com a do bebê, pela apreensão com a mudança que vai acontecer na vida de vocês, pelo medo de que o sexo machuque o bebê ou pelo desconforto de ter relações sexuais na presença do filho, mesmo que ele ainda não tenha nascido.

Caso o temor seja machucar o bebê, experimente levá-lo com você para conversar com o médico na próxima consulta. Assim ele terá chances de tirar todas as dúvidas sobre a segurança do sexo na gravidez. Um fator psíquico que possa impedir o desejo do homem sobre sua parceira gestante é simples fato de não poder momentaneamente disseminar seus espermatozoide, perde a sensação de macho poderoso (gente, isso é inconsciente, viu?).

Vocês provavelmente vão ter que experimentar um pouco mais para encontrar as posições sexuais mais confortáveis no período gestacional, mas muitos casais acabam encarando a gravidez como uma oportunidade de aumentar a criatividade sexual e testar novas posições. Veja abaixo algumas dicas:

  • Fique de lado. A posição papai-e-mamãe, com o homem por cima, exige cada vez mais acrobacias e criatividade devido à barriga maior. Se você ficar meio de lado, com um travesseiro apoiando suas costas, seu parceiro conseguirá manter o peso dele longe do seu útero.
  • A barriga não ficará no meio do caminho se você se deitar com o bumbum bem na beirada da cama, os joelhos flexionados e os pés no colchão, e seu parceiro ficar fora, ligeiramente ajoelhado ou de pé, de frente para você.
  • Adote a posição da “colher”, deitada de lado com o homem deitado também de lado, por trás de você. Essa posição só permite uma penetração superficial. Penetrações muito profundas podem ir ficando desconfortáveis conforme os meses vão passando.
  • Fique por cima, “montando” o parceiro. Sua barriga não vai atrapalhar e você poderá controlar a profundidade e a intensidade da penetração.
  • Experimente a posição sentada, que também deixa sua barriga livre. Tente se sentar no colo do seu parceiro, com ele colocado numa cadeira firme.
  • A posição “cachorrinho”, com você de quatro em cima da cama e a penetração vaginal por trás, também tira a barriga do caminho.

Deixe uma resposta