Erika Responde Especial: Sexo Oral e as DSTs

Mocinhas, vem ai o Erika Responde Especial. Hoje vou abordar um tema muito comum, mas repletos de tabus e duvidas: Sexo Oral e as DSTs. Se preparem porque lá tem textão!

let's escape to

Tudo começou quando recebemos a seguinte pergunta para a coluna:

Estou me borrando de medo, eu sai com um boy desses app de encontro e fiz sexo oral nele, e pela primeira vez eu engoli.
Agora eu mal durmo, porque to com medo de ter pego alguma doença venérea.
O que devo fazer?

Como esse é um tema muito delicado, achei melhor fazer uma coluna só sobre isso. Vamos lá:

Bom, mocinha, o fato já ocorreu. Então, o que oriento para você é procurar um ginecologista ou infectologista urgentemente. O especialista pode solicitar o quanto antes os exames necessários para diagnosticar HIV e Aids. Algumas doenças apresentam sintomas em até 48horas do ato, como a gonorreia, e outras podem levar meses para se manifestar, como é o caso do HIV e Sífilis. Para esses tipos de casos, a área medica costuma solicitar esses mesmos exames de análises clínicas com uma periodicidade maior e com intervalos de tempo para serem refeitos.

Somente com a confirmação de contaminação é que o médico pode indicar o melhor tratamento a base de antivirais, antifúngicos ou antibióticos. Não compre medicamento sem prescrição medica, ok? Isso pode colocar a sua saúde em risco.

Outra coisa muito importante: sem proteção, tanto quem faz, quanto quem recebe sexo oral está sujeito a contrair doenças sexualmente transmissíveis.

Algumas DSTs têm sintomas bastante evidentes. Verrugas, bolhas e feridas nos genitais não são bons sinais, e indicam que aquela pessoa não está saudável. Corrimentos e secreções esverdeadas ou esbranquiçadas e de cheiro forte e desagradável também indicam doenças. Nestes casos é melhor não fazer sexo. A pessoa com estes sintomas deve procurar um médico o mais rápido possível. Se você tiver com o ou a crush e de repente viu que deu ruim, que infelizmente os sintomas estão mais do que evidentes, dá aquela parada. Vai beber uma agua, pode inventar que recebeu uma mensagem da sua BFF aflita e que ela precisa de você naquele exato minuto; o importante e sair imediatamente dessa situação. Nesse caso mentir será um pecado menor do que colocar sua saúde (e a da outra pessoa) em risco.

Agora, mesmo que não há nenhuma evidencia física dos sintomas, não dispense o uso de preservativos, pois infelizmente algumas doenças são assintomáticas, como o HIV.

“Sexo seguro = ótimo sexo”

Vamos relembrar um pouco da aula de ciências biológicas e saúde e recordar aqui as DSTs mais comuns, seus sintomas e tratamentos.

Hepatite C

Você pode se contaminar com o vírus se entrar em contato com a mucosa de uma pessoa infectada.
Sintomas: Assintomática, a hepatite C só é descoberta quando está em estágio avançado e causa cirrose ou câncer de fígado.
Tratamento: Antivirais injetáveis e orais por seis meses ou um ano. A cura acontece em 60% dos casos.

Giardíase e Amebíase

Essas doenças são causadas por protozoários e não são originalmente DSTs,  mas há riscos quando você faz sexo anal com um homem contaminado e oral depois.
Sintomas: Dores no estômago, no abdômen, diarreia e febre.
Tratamento: Remédio antiparasítico por cinco dias.

Herpes genital

Se o homem estiver com o pênis infectado e você fizer sexo oral nele sem proteção, você pode contrair herpes bucal. Se ele estiver com herpes facial (na boca, olhos ou nariz) e fizer sexo oral em você, há chances de o vírus se transformar na versão genital e infectar sua vagina ou seu ânus.
Sintomas: Ardor e bolhas na pele e nas mucosas. As feridas cicatrizam, mas o vírus fica no corpo e aparece quando a sua resistência estiver baixa.
Tratamento: Antiviral à base de aciclovir em pílulas ou pomadas.

Gonorreia

Mucosas infeccionadas transmitem essa bactéria do mal que pode contaminar a vagina ou a laringe.
Sintomas: Febre, lesões na pele e inflamação na uretra que aparecem de dois a seis dias depois do sexo com alguém com gonorreia.
Tratamento: Antibióticos de dose única. Mas você pode ser contaminada mais de uma vez se, de novo, fizer sexo sem proteção com alguém com essa DST.

AIDS

A probabilidade de você contrair o vírus fazendo sexo oral é só de 0,04%, mas não vale o risco.
Sintomas: No começo, parece com uma gripe, com febre, dor muscular, calafrios… Nos estágios mais avançados, é comum que o paciente tenha doenças oportunistas, como pneumonia.
Tratamento: Não há cura, só controle da proliferação do vírus com coquetel de medicamentos.

Sífilis

Se você tiver contato com o sangue, sêmen ou mucosa de alguém  com a doença, é muito provável que pegue sífilis.
Sintomas: Três semanas depois da infecção, surge uma ferida com bordas mais altas. Alguns dias depois aparecem mais feridas que podem se espalhar pela pele. Se não for tratada, a sífilis afeta o sistema nervoso, ossos e coração.
Tratamento: Injeções de antibiótico à base de penicilina. O tempo e a dosagem variam.

Candidíase

Quando sua imunidade está baixa e você toca as mucosas de um homem que está com o fungo, tem altas chances de contrair essa DST, que é comum entre as mulheres.
Sintomas: Coceira, corrimento branco, incômodo ao fazer xixi e dor para transar. A candidíase bucal causa pontos brancos escamosos que inflamam — – nem adianta tentar disfarçar com batom!
Tratamento: Pomadas ou doses de comprimidos antifúngicos por pelo menos uma semana.

Todas as DSTs acima podem ser transmitidas pelo contato com o sêmen, líquido pré-ejaculatório e lubrificação vaginal.

Se o homem tiver alguma DST, é grande a chance de acontecer contaminação ao engolir o sêmen. Se a mulher tiver alguma ferida na boca, como afta, corte ou alguma ulceração, as chances de contaminação são ainda maiores.

Então meninas, cuspindo ou engolindo as chances de contrair alguma doença venérea são iguais, então não corram esses riscos. Existem outras formas de realizar ou receber aquele sexo oral gostoso, mas bem precavido. Seguem algumas dicas:

Ao fazer sexo oral em um pênis, a medida mais simples e direta é usar o preservativo. Incremente o momento e escolha as opções com cheiro e gosto. Uma ida ao sex shop pode dar muitas ideias.

Agora, se você vai se divertir em uma vagina, o processo pode ser um pouco mais complicado, mas não é impossível. Você poderá, sim, se proteger das doenças com sexo oral. Corte a base de uma camisinha, corte o sentido do comprimento e transforme-a em uma espécie de folha. Coloque-a sobre a vagina e siga em frente.

Algumas pessoas escolhem usar aqueles filmes plásticos (PVC) usados para acondicionar alimentos. Até podem ser uma boa alternativa, mas como se trata de uma película bastante delicada, pode gerar riscos de rompimento.

2 comments

  1. Maura Castello Bernauer says:

    Oi Erika vc se esqueceu de falar do Papiloma vírus humano o HPV que é um dos maiores causadores de câncer de colo de útero. Porém, devido ao sexo oral sem proteção o HPV tem sido o causador de um grande número de câncer de boca e garganta. Este é um alerta muito importante. Se aparecer uma ferida na boca que não cicatriza, aftas recorrentes, caroços endurecidos na mucosa da boca e garganta…procure um dentista ou otorrinolaringologista para fazer um diagnóstico.

Deixe uma resposta