Erika Responde: Disfunção erétil, Swing e pós-menopausa

Estamos adorando todas as perguntas que vocês nos enviam! Essa semana, recebemos três muito interessante  sobre swing, o corpo pós menopausa e um assunto tabu: o que fazer quando ele brocha?

brochar

“Adorei a pauta de hoje, e me ocorreu a seguinte situação, o que a mulher pode fazer para apoiar seu parceiro quando ele Brocha????”

Afinal que trem  é esse que tanto amedronta o universo masculino?

A disfunção erétil é definida como a incapacidade persistente de obter e/ou manter uma ereção o suficiente para penetração ou para o término do ato sexual satisfatório.

No Brasil estima-se que 46% dos homens apresentam algum grau de DE (disfunção erétil). Os mais propensos a ter um problema do tipo são homens acima de 18 anos que tenham problemas de ordem emocional (ansiedade, stress, depressão e etc) e/ou fatores de risco e comorbidades, como doenças cardiovasculares, diabetes melito, e síndromes metabólicas (obesidade,hipertensão arterial, hipercolesterolemia e etc).

Nossa mocinha nos questiona como a mulher pode auxiliar seu boy quando esse “probleminha” aparecer. Separamos 5 dicas:

 

  • Fale com o seu parceiro: Conversar sobre o assunto é um dos fatores que contribui para combater a disfunção. Comece por explicar que a disfunção erétil afeta vários homens e que o seu parceiro não é o único com este problema. Tente não se focar demasiado na incapacidade do homem conseguir levar a relação sexual, mas refira que este problema pode estar relacionado com outras condições de saúde como a diabetes ou  colesterol alto e que a sua avaliação não deve passar despercebida.
  • Considere outras atividades que possam fazer juntos: Focar a sua atenção apenas no sexo de forma a querer resolver este problema apenas irá agravar a situação. Não quer dizer que o sexo não seja uma parte importante da vida do casal, porque é!, mas existem outras atividades que podem fazer juntos que irão permitir que o casal se relacione mais intimamente. Adicione à sua rotina idas ao cinema, a restaurantes, bares ou passeios que possam contribuir para que o seu parceiro fale mais abertamente sobre o assunto. Cerca de 20% dos casos de disfunção erétil têm causas psicológicas como o stress e a ansiedade, então alterar o quotidiano do casal pode ajudar a reverter a situação
  • Opte por diferentes formas de estimulação: Não quer dizer que a culpa seja sua, mas a verdade é que a monotonia na cama em nada ajuda no caso da disfunção erétil. Considere outros tipos de estimulação para além da penetração que possam ajudar o homem a conseguir e a manter a sua ereção, como por exemplo o sexo oral ou a estimulação manual – vulgo masturbação.
  • Incentive a procura de ajuda médica: A disfunção erétil é um problema de saúde que deve ser diagnosticado por um médico. Se o seu parceiro não se sente à vontade em procurar ajuda, convença-o de que esta é a melhor solução e que está disposta a acompanhá-lo nas consultas se isso o fizer sentir melhor. Em muitos casos é a mulher que dá o primeiro passo no que diz respeito à ajuda médica para tratar a disfunção erétil, ponha o seu parceiro confortável relativamente a esta condição.
  • Nunca use essa situação como piada: Gente, nem preciso falar a respeito, repudiamos qualquer tipo de humilhação ou bullyng. Mesmo em dias de fúria, nunca use um episodio traumático do casal como forma de ataque ou defesa.

Meu marido me leva com grande freqüência em casa de swing, confesso que não curtia no início; mas eu peguei gosto ,principalmente quando transo com mulheres.Isso me faz bi? Lésbica?
To confusa e com medo.

Mocinha, não há nada de errado em ir na casa de swing com seu parceiro desde que você goste também, afinal gata vamos ser repetitivas e gritar em alto e bom som : VOCÊ NÃO OBRIGADA A FAZER NADA PARA AGRADAR SOMENTE SEU PARCEIRO. E, claro, sempre lembrando da prevenção. A camisinha é fundamental em todas as relações sexuais, porque é o único dos métodos contraceptivos que previne das DSTs.

Agora vamos no X da questão> o fato de você gostar de transar com mulheres não te faz bissexual ou lésbica, isso pode ser apenas fantasia sexual – a não ser que além do desejo, há sentimento em relação a outra mulher. Não tenha medo, seja sincera contigo e reveja seus sentimentos a respeito dessa questão. Não se rotule, não sofra antecipadamente, e se houver amor por outra mulher não há problema algum, afinal é AMOR! ❤

Porque mulheres pós menopausa apresentam uma queda no apetite sexual?

Menopausa é a interrupção da menstruação em decorrência da diminuição de hormônios como o estrogênio. A falta desse hormônio dificultará na lubrificação da vagina. Muitas mulheres nessa fase reclamam muito dessa sensação de secura vaginal.

Porém no período perimenopausa (ultimas menstruações), uma em cada seis mulheres apresentam um aumento do desejo sexual. Existe uma explicação orgânica para esse quadro: A produção de estrogênios desequilibra nessa fase da transição, mas os ovários e glândulas supra-renais continuam produzindo os hormônios andrógenos (masculinos), que estimulam a libido. O fim da menstruação e a redução considerável da produção de estrogênios, infelizmente, muda esse cenário.

A vagina fica mais seca com a menopausa, seu revestimento interior perde espessura e a penetração pode ser dolorosa e desconfortante; o uso de cremes à base de estrogênio aumentam o fluxo sanguíneo na vagina e melhoram a sua lubrificação. Mas a terapia de reposição combinada de estrogênios e progestogênios, indicada para mulheres que têm o útero intacto (nunca ficaram grávidas), pode afetar a libido durante o tratamento. Quando isso ocorre, os médicos costumam prescrever doses mínimas de testosterona para melhorar o desejo sexual, embora admitam que a sexualidade feminina não depende apenas de hormônios. Metade do caminho para o prazer no ato sexual é resultado do “clima” de entendimento existente entre o casal e do carinho mútuo.

A menopausa em si não é responsável pela queda do interesse sexual das mulheres de meia idade, apesar de ser esta uma das queixas frequentes dessa fase. Os sintomas desconfortáveis, como ondas de calor e suores noturnos, podem afetar o desejo, ao comprometer o sono e a disposição da mulher, sem contar os problemas decorrentes do envelhecimento, como o desgaste físico, associado a dificuldades no relacionamento com companheiros ou maridos interferem muito mais na sexualidade feminina do que a menopausa.

Menopausa trás o estigma da velhice, e infelizmente nossa sociedade glamoriza a juventude como se fosse a única fase que proporciona felicidade, aventura e fantasias, e ao envelhecer você está fadado a não desfrutar mais das coisas boas da vida. Ledo engano! Nossas expectativas de vida aumentaram muito nos últimos anos graças a grandes avanços da medicina e nossa cultura e pensamentos deveriam acompanhar esses momentos também.

Como aqui no Que nem Mocinha, a gente não só explica  os conceitos, a gente tem tesão em  dar dicas pra vocês, bora lá:

  • Use lubrificantes para combater a secura vaginal, prefira os lubrificantes a base de água, evitando possíveis dores/ e ou incomodo no ato sexual.
  • É importante praticar atividades físicas do tipo cardiovascular, pois estas favorecem e aumentam o fluxo sanguíneo em todo o seu corpo, incluídos os órgãos sexuais, o que é necessário para uma vida sexual plena.
  • Consuma alimentos ricos em vitamina B e zinco como o pimentão, gengibre, ostra, camarão e os condimentos picantes, pois se acredita que beneficiam o apetite sexual.
  • Consulte um especialista sobre o assunto, tanto o seu ginecologista ou um terapeuta sexual poderá ajudá-la durante esta etapa. Seu ginecologista irá indicar o tratamento de reposição hormonal mais adequado com seu caso clinico. Não tenha medo de conversar sobre este problema, pois uma grande porcentagem das mulheres enfrenta o mesmo que você, a diferença está em superar com sucesso o problema e continuar com uma vida sexualmente ativa com o seu parceiro.

Não há idade que limita nossa felicidade!

 

 

2 comments

  1. Livia Andrade says:

    Todos dizem que mulheres que mentruam muito novas entram na menopausa muito cedo tbm! Tenho 32 anos menstruei aos 10 anos , tive a primeira gravidez aos 25 anos, quero engravidar novamente mas nao agora daqui uns tres anos, porem tenho medo de ser tarde demais !

  2. Sarah Ribeiro says:

    Estou me borrando de medo, eu sai com um boy desses app de encontro e fiz sexo oral nele, e pela primeira vez eu engoli.
    Agora eu mal durmo, porque to com medo de ter pego alguma doença venérea.
    O que devo fazer?

Deixe uma resposta