Erika Responde

Erika Responde: O primeiro orgasmo

Oi mocinhas, quanto tempo! Eu estou naquela ressaca pós-olimpíadas, sentindo o dia a dia retornar a sua rotina. Para voltar ao normal, nada melhor do que responder perguntas, não é mesmo? E temos uma sobre um assunto que ainda é tabu: o orgasmo feminino. Uma leitora mandou uma pergunta sobre isso. Ficou curiosa? Então continua lendo!

Já estava com saudades da coluna

Eu tenho uma dúvida muito forte.

Eu nunca gozei na vida.
Fico muito mal, afinal tenho 25 anos, já tive experiências hetera e homo, e nunca alcancei o clímax.

Oq há de errado comigo?
Existe técnicas para tal?

 

Primeiramente não há regras sobre como alcançar o orgasmo a partir de uma determinada faixa etária. Isso indefere entre uma garota de 18 ou 28 anos, então não se culpe pelo fato de ter 25 anos e ate o momento não ter alcançado o famoso “clímax.”.

Não consigo responder de bate pronto se existe algo errado contigo. Pode ser que, durante o ato sexual, alguns fatores externos e internostenham contribuído para isso.

Vou tentar enumerar alguns fatores que “atrapalham” o orgasmo, bem como dar dicas para que você e outras mocinhas possam “virar os olhinhos” sem medo. Vem comigo:

  • Falta de intimidade com o próprio corpo: Antes de qualquer tipo de relação sexual que você venha a ter, é importante que você conheça bem o seu corpo, isso e tão importante porque você ira sinalizar ao seu parceiro ou parceira, aonde e como você consegue sentir prazer. Masturbe-se (use suas mãos, vibradores ou o chuveirinho do banheiro). Não tenha medo ou vergonha: você precisa conhecer seu próprio corpo. Sinta a tua pele, explore suas zonas erógenas (seios, virilha, vulva, nádegas, lábios, clitóris), e veja como seu corpo responde a cada toque; veja se há aumento desde a respiração até a lubrificação vaginal.
  • Falta de repertorio erótico: Existem mocinhas que mesmo se masturbando ou no ato sexual não conseguem chegar ao orgasmo porque sentem que falta algo. Esse algo pode ser a falta de reportório erótico, bem como um filme pornográfico, relembrar aquele amasso gostoso ou simplesmente imaginar aquele sexo gostoso com aquele ou aquela crush.
  • Sem tempo para gozar: Já ouviram falar que a “pressa é a inimiga da perfeição”? Então, muitas vezes na masturbação, ou no ato sexual, a gente deixa de se concentrar naquele momento em si e começa a pensar numa serie de coisas sem sentido – desde no que o parceiro ou parceira está pensando até na conta de luz que deveria ter sido paga. Respirem e se foquem no momento, respeite seu corpo, respeite você acima de tudo, deixa pensamentos de lado e curta o teu prazer.
  • Desencane: Não acredite que você é obrigada a gozar a cada masturbação ou ato sexual. Às vezes vai acontecer, às vezes não. Não crie expectativas a respeito. Sabe aquele ditado “relaxa e goza”? Pois bem, expectativas em demasia levam a estado de ansiedade e possíveis frustrações.
  • Parceiro ou parceira compreensível: Fundamental, não apenas para gozar, mas para qualquer situação que vocês venham a ter juntos. Esteja com alguém que saiba te ouvir e que esta disposto a explorar o seu corpo junto com você.
    Resultado de imagem para orgasmo
Erika Oliveira

Psicologa e Sexóloga, por curiosidade e vocação. Quando tinha 12 anos "devorou escondida" a coleção de livros sobre sexologia de sua mãe, ali nascia o interesse por uma das temáticas mais atraentes, enigmáticas e cheias de tabu: A sexualidade Humana. Na adolescência ensinava as amigas a como colocar absorvente, que siririca não engravidava, e quais eram sintomas da gravidez. Na juventude curtiu como muitas meninas, de beijos e carinhos entre meninas e meninos, conheceu o mundo BDSM ,as baladas GLBTS e por fim se apaixonou por um dentista de esquerda. Hoje é mãe da pequenina Eva,na maternidade sentiu necessidade de engajar-se na luta de igualdade de gêneros e emancipação das mulheres. Ativista feminista, se não está trabalhando, está brincando de pintar e contar historia com a sua filha, ou tomando uma cerveja com marido (aquele dentista de esquerda) conversando sobre as mazelas do mundo e como o amor é maior ato de revolução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *