Dicas para ir em um sexshop

Depois das nossas dicas para quem está indo para o motel pela primeira vez, chegou a vez de conversar sobre um outro lugar místico que pode assustar muitas mulheres: sexshop. Por mais que as lojas virtuais tenham cada vez mais espaço, a loja física ainda é a preferida pela maioria das consumidoras. Mesmo assim, esse tipo de estabelecimento é visto como um lugar esquisito, para pervertidos – e não é assim que a banda toca. Chamei mais uma vez a Luciana Walther, que lançou um livro incrível sobre o consumo erótico feminino. Ela falou um pouco sobre o que viu durante sua pesquisa e deu dicas de como ficar mais tranquila durante a visita.

Entre em um sexshop virtual

Antes de ir para uma loja real, dê uma olhadinha nos catálogos virtuais. Isso vai te deixar mais preparada, porque você vai ter noção do que encontrará na vida real. Além disso, a Internet possibilita que você pesquise, no conforto do seu lar, diversos modelos e preços de maneira mais fácil e prática. Quando encontrar algo que te interesse, anote tudo certinho e vá até a loja física ver se o produto é mesmo como você esperava. Essa, de acordo com Luciana, é uma das maiores vantagens dos estabelecimentos físicos: “Por isso, os estabelecimentos físicos fazem questão de tirar os produtos da embalagem e demonstrá-los na loja”.

Muito além do vibrador

Um erro bastante comum é achar que as mulheres vão para um sexshop para comprar, basicamente, vibradores. Eles nem são os itens mais vendidos! Segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme), os cosméticos sensuais são os mais vendidos com uma vantagem bem grande. Esses cosméticos podem esquentar ou esfriar a região genital, facilitar o sexo oral por meio da adição de sabor, anestesiar o duto anal, contrair a musculatura vaginal, prolongar a duração da ereção… Ou seja, um mar de opções, que costumam ser super aproveitadas por casais. O que nos leva ao próximo tópico.

Abra a cabeça!

Luciana entrevistou 35 mulheres para sua pesquisa que deu origem ao livro Mulheres que não ficam sem pilha e nenhuma delas afirmou que se sente realizada sexualmente apenas com o uso de produtos eróticos. Por mais incrível e importante que sejam o estímulo solitário, a parceria na cama, talvez, seja unanimidade.

que nem mocinha - sexshop - dicas e motivos

“Talvez a gente devesse manter a cabeça aberta”

Outro pré-conceito bastante comum é achar que, se o casal procura por itens em um sexshop, é porque a vida sexual deles está mal das pernas. Muitos casais tem vontade e curiosidade para experimentar coisas novas na cama (e fora dela!) e até mesmo procuram itens juntos. Isso não faz deles pervertidos ou algo do tipo – e outro erro que costuma acontecer com bastante frequência é um julgamento moral de quem frequenta esse tipo de loja. Durante seu estudo, Luciana não encontrou nenhuma relação entre consumir produtos de sexshop e vícios, infidelidade ou parafilias.

Pessoas como você

70% dos consumidores dos sexshops são mulheres. “As clientes de sex shop têm de 18 a mais de 70 anos, são solteiras, casadas, separadas ou viúvas, são hétero, bi ou homossexuais, são donas de casa ou têm as mais variadas profissões”, afirma Luciana. Ou seja, dentro da loja, você vai encontrar mulheres normais – como você. E se você tiver muita vergonha só de imaginar encontrar com algum homem dentro do estabelecimento, procure uma butique erótica feminina onde a entrada de homens seja proibida ou limitada. Nelas, tudo foi planejado para que você se sinta à vontade, desde a decoração à música ambiente.

Peça ajuda

As vendedoras de sex shop recebem treinamento minucioso não só sobre o uso dos produtos, mas também sobre relacionamentos, questões emocionais e até sobre anatomia. Luciana contou que, em muitos casos, elas estão acostumadas e foram preparadas para se tornar suas confidentes. “Elas usam termos técnicos e simpáticos, demonstrando evidente e acolhedor profissionalismo”. Então tentem deixar a vergonha de lado e tirem suas dúvidas antes de saírem da loja. Elas vão poder te auxiliar sobre qual modelo é o mais indicado para o seu objetivo, como usar determinado gel e por aí vai.

Amiga, vai comigo?

Sabe aquela sua amiga que tá sempre contigo, que sabe tudo da sua vida? Então, ela pode ser a companhia ideal nessa aventura! Escolha alguém que você realmente confie, sua confidente, alguém que você sabe que não vai te julgar. Se ela já vai em um sexshop, ótimo; se não, vocês podem descobrir juntas esse novo mundo. Na pior das hipóteses, vão rir bastante e garantir várias histórias!

que nem mocinha - sexshop - dicas

#RelationshipGOALS

Sexshop não é esse bicho de sete cabeças

“Se você usa produtos para aprimorar outros aspectos da sua vida, como as atividades de trabalho ou as esportivas, por que não usar os produtos que foram desenvolvidos para aprimorar as atividades sexuais?”. O questionamento da Luciana é super válido! A sexualidade é um aspecto da natureza humana e uma vida sexual ativa e saudável só tem a melhorar nossa saúde e bem estar. Desde que seja consensual e que não faça mal a ninguém, por que não investir nesse setor? Tenta se livrar das correntes do preconceito e experimente coisas novas!

2 comments

Deixe uma resposta