Diarreia na menstruação é normal?

Não basta o inchaço, as cólicas e as dores nos seios. Muitas mocinhas, quando estão menstruadas, também enfrentam uma diarreia daquelas. Algumas nem associam uma coisa à outra, achando que comeram algo que não caiu bem. Mas, na verdade, o motivo é outro – e vamos falar dele agora. Eu sei, eu sei. O assunto não é muito agradável, mas é algo que precisamos falar sobre. Esse mal atinge várias mulheres, mas a maioria não fala sobre isso porque tem vergonha e nojo. Aqui, no Que Nem Mocinha, não temos isso não: estamos aqui para falar de todos os assuntos do nosso corpo e sexualidade – e essa diarreia menstrual é um deles. 

A grande vilã

Meninas, anotem esse nome: prostaglandina. É um lipídio (alô, aulas de biologia!) que o seu corpo usa para evitar a perda de sangue e promover a coagulação, estreitando os vasos sanguíneos dos músculos. Isso pode fazer com que eles se contraiam, então não é surpresa que a prostaglandina em excesso é responsável pela cólica. Na menstruação, esse lipídio age diretamente nos músculos uterinos, mas acaba afetando também os intestinos, causando as contrações intestinais. Essas contrações, por sua vez, aceleram a saída do conteúdo intestinal, o que pode diminuir a consistência das fezes e aumentar o número de evacuações.

que nem mocinha - diarreia na menstruação é normal?

Está saindo de mim como lava!

O que fazer?

É possível contornar a diarreia menstrual. Conversei com a nutricionista Elaine de Moura, que me explicou que existem as fibras solúveis, que favorecem o retardamento do trânsito intestinal (ou seja, prende), e as fibras insolúveis, que, por não serem solúveis na água, acabam acelerando o trânsito (ou seja, solta). O recomendado é que haja ingestão dos dois tipos de fibra, pra que não haja nem constipação (prisão de ventre) e nem diarreia. Mas, nesse caso e período específico, as mulheres podem dar preferência para alimentos como banana, caju, suco de limão, goiaba, maracujá, maçã, arroz, batata, chuchu, mandioquinha, inhame, cará, cenoura cozida, mandioca, abobrinha sem casca, mingau de maisena, macarrão, biscoitos (como cream cracker), biscoito de polvilho, chá preto ou chá mate.

Além de se jogar nos alimentos que prendem, vocês também devem ficar atentas aos alimentos que podem ser bastante laxativos. Existem alguns “clássicos”, como o feijão, o leite e seus derivados (queijo, manteiga, creme de leite, iogurtes), laranja, ameixa, mamão, e alimentos gordurosos num geral (excesso de óleos vegetais nas preparações, como azeite, margarina, etc). As oleaginosas, como castanhas, nozes e avelã também são bem gordurosas. O ideal é começar essa dieta um ou dois dias antes da menstruação chegar ou quando começar a sentir os primeiros sintomas.

Atenção!

As dores na região pélvica que costumam acompanhar as crises de diarreia podem significar outra coisa: endometriose. Para quem não sabe, é uma doença em que o  endométrio (tecido que reveste o interior do útero) fica fora da cavidade uterina. As células do endométrio não são expelidas corretamente, pois mudam seu percurso e caem nos ovários, chegando à cavidade abdominal. Assim, elas se grudam em outros órgãos, como bexiga, ovário, intestio e vagina. De acordo com Joji Ueno, ginecologista responsável pelo setor de Histeroscopia Ambulatorial do Hospital Sírio Libanês, Joji Ueno, a doença atinge 10% das brasileiras em idade reprodutiva. Quando o endométrio se aloja nas trompas pode levar a diminuição da fertilidade feminina. Se você acha que a dor está muito mais forte do que o normal, procure um médico o mais rápido possível.

Deixe uma resposta