Erika Responde: Crise conjugal e fio-terra

Olá meninas, tudo bem com vocês?Essa semana trago dois temas superinteressante, mas repletos de tabu e estigmas. Recebemos duas perguntas, uma sobre relacionamento aberto como solução para uma crise conjugal e outra sobre brigas em relação ao fio-terra. Vem com a gente!

Sou casada ha mais de 20 anos, meu casamento entrou em crise por causa da rotina, filhos e como alternativa pensamos em varias coisas desde ida a casas de swing, ou até aderir relacionamento aberto.
Isso poderá salvar nossa relação?

Mocinha, você tem total clareza do que seria uma relação aberta com seu atual companheiro?

Creio que possam existir outras questões, fora da esfera sexual, que possam contribuir com a situação incomoda de crise após muitos anos de relacionamento. É necessário um filtro para ter a certeza e afirmar que essa origem está interligada com atividade sexual de vocês. O ideal é que vocês sejam francos e sinceros sobre a situação atual. Apimentar a relação de vocês com a vinda de terceiros iria mesmo beneficiá-los além da vida sexual?

É preciso maturidade do casal para se permitir a novas práticas sexuais ou amorosas, na qual há o consentimento de ambos e principalmente sem nenhuma culpa. Às vezes, férias longe de casa e da rotina pode ser um bom ingrediente para reacender o tesão de um pelo outro.

Como nossa mocinha trouxe duas práticas dentro do conceito super falado ultimamente, o poliamor (relações não monogâmicas sexuais/amorosas onde todos os envolvidos consentem que o parceiro tenha outras relações), vou descrever abaixo como são essas praticas:

Amor Livre

Surgiu como uma forma de embate à legislação das uniões amorosas. Seus seguidores acreditam que a igreja e o Estado não têm o direito de definir o que deve ou não ser considerado um relacionamento amoroso. Eles são contra o casamento, pois o vêem como forma de controle e submissão. O amor livre defende e pratica todo tipo de relação amorosa – inclusive a monogâmica – não atrelada a quaisquer registros formais. Ou seja, pessoas que se relacionam sem intitular-se “namorados” ou “casados”.

Dentre todos os estilos, o relacionamento livre é o que mais se aproxima do relacionamento poli, já que ambos dão grande flexibilidade afetiva e sexual à formatação das relações. No entanto, o poliamor não se preocupa tanto com o distanciamento de rótulos, que é uma característica fundamental do amor livre.

Relacionamento Aberto

Acreditam que desejos sexuais por outras pessoas procedem mesmo durante um relacionamento fixo e que reprimi-los pode gerar estresse entre o casal. Defendem a monogamia afetiva em parceria com a liberdade sexual. Portanto, relações extraconjugais não são consideradas como infidelidade, contato que não haja envolvimento amoroso; este deve existir apenas entre o casal. “Liberamos o desejo, não o sentimento”, diz um adepto. É importante ressaltar que o relacionamento aberto costuma funcionar melhor quando há regras bem definidas e consentidas por ambos para evitar desentendimentos.

Em contrapartida, poliamoristas são a favor da liberdade amorosa, além da sexual. Cada parceiro poliamoroso pode nutrir quantos namoros e/ou casamentos ele quiser – independentes ou conjuntos.

Swing

Refere-se à troca sexual de parceiros entre dois casais. Seus praticantes geralmente buscam se livrar da monotonia que tanto atormenta a maioria dos casais de longa data. O swing é quando dois casais se encontram ocasionalmente para trocar de parceiros em busca de diversificar o sexo, não havendo trocas romântico-afetivas. Diferente do relacionamento aberto, a prática do swing nunca acontece separadamente. Ou seja, os amantes não podem se encontrar a sós com mais alguém. Quando isso acontece, considera-se traição e, consequentemente, gera discórdia entre o casal. Por conta disso, os swingers são considerados monogâmicos.

Poligamia

Teve início com a desproporção numérica entre homens e mulheres ocasionada pelas guerras, o que favoreceu o patriarcado. Décadas mais tarde, tornou-se popular a associação entre o conceito de poligamia e poliginia, no entanto, a poligamia também pode ocorrer entre mulheres, recebendo o nome de poliandria. A poligamia é uma forma de casamento comumente associada à religião mulçumana e reconhecida pela legislação de mais de 50 países, onde a população segue os ensinamentos do Alcorão (livro sagrado dos mulçumanos) que permite ao homem ter até quatro esposas, com a condição de que dê atenção igual a cada uma delas.

A poligamia remete a uma prática unilateral, em que apenas um dos sexos tem o direito de nutrir mais de um parceiro. Já o poliamor, além de não ter associações religiosas, é sempre bilateral porque defende o direito à liberdade de ambos. Ou seja, todos os parceiros podem amar e se relacionar com mais de uma pessoa. Ocasionalmente, um homem ou uma mulher pode ter mais de uma relação, enquanto o outro tem apenas a ele ou ela. No entanto, se é conservada a liberdade mútua para seguir novas escolhas, a prática não deixa de se caracterizar como poliamor.

Além de tudo, o significado de poligamia está muito mais atrelado ao ato do casamento do que à afetividade entre seus participantes. Casar com várias mulheres ou vários homens não significa necessariamente nutrir sentimentos por todos eles. Afinal, casamento nunca foi sinônimo de amor. A poligamia pode acontecer, também, como mera fidelidade a determinados padrões culturais religiosos; mera formalidade. Por outro lado, o poliamor é motivado apenas pela afetividade múltipla e tem formato fluido, portanto é uma pratica livre de padrões e incentivos religiosos.

poliamor

De uns tempos pra cá eu me excito fazendo fio terra no meu Namorado.
Eu gosto e ele tb, problema e q qdo bebemos eu chamo ele se viado.
Sei q não é normal.
Vc acha q precisamos de terapia de casal?

Vamos por partes: não há nada demais o seu companheiro se excitar quando você estimula o ânus dele, tanto porque e a vida sexual de vocês não diz respeito a ninguém.

Existe muito preconceito no que se refere a essa prática na sexualidade do homem. Muitos acreditam que se trata apenas de uma atividade sexual exclusiva dos homossexuais – ledo engano. Fio terra ou massagem prostática (quando praticada em homens) não tem nada haver com orientação sexual. Vale lembrar que muitos casais heteros têm essa prática, onde o homem introduz dedo nos ânus de sua parceira. A região anal e uma zona erógena que, se trabalhada com carinho, proporciona muito prazer para o casal. Ao homem existe o atenuante da próstata que, bem estimulada, proporciona excitação e orgasmo.

Então, moça, até ai tudo bem. O que eu me preocupa, e acredito que a vocês também, é o comportamento agressivo que surge com o consumo de bebida alcoólica.

Entenda que é situações distintas, o fio terra versus as brigas.

Qual a origem dessas brigas? Essas brigas acontecem sempre que vocês bebem ou não?

Acho que o fato de você se excitar e estimular o ânus de seu namorado não lhe dá o livre arbítrio para tentar ofende-lo ao questionar a orientação sexual dele. Creio que vocês precisam rever esses comportamentos, antes que a situação fuja do controle, através de agressões físicas ou até o rompimento da relação.

Caso queiram uma nova conversa a respeito, ou uma conversa presencial me contate no erika@quenemmocinha.com ou erikadepaula.psicologia@gmail.com.

3 comments

  1. Nadia Ramiro says:

    Já estava com saudades da coluna

    Eu tenho uma dúvida muito forte.

    Eu nunca gozei na vida.
    Fico muito mal, afinal tenho 25 anos, já tive experiencias hetera e homo, e nunca alcancei o climax.

    Oq há de errado comigo?
    Existe técnicas para tal?

    abs

  2. Luciane Oliveira says:

    descobri recentemente q estou gravida, estou de 6 semanas, e confesso q minha libido aumentou muito….queria saber se existe alguma restrição para q eu e meu marido termos relações sexuais.

    Ele esta temeroso,mas eu não, não mesmo…rs

  3. sandra says:

    As posições que você poderá fazer com ele o fio terra:
    1-Você coloca ele deitado de costas, dá umas lambidinhas no anus dele, passa lubrificante ky no seu dedo e na entradinha do anus e vai enfiando o dedo.
    2-Você coloca ele deitado de ladinho, dá umas lambidinhas no anus dele, passa lubrificante ky no seu dedo e na entradinha do anus e vai enfiando o dedo.
    3-Você deita ele de quatro, dá umas lambidinhas no anus dele, passa lubrificante ky no seu dedo e na entradinha do anus e vai enfiando o dedo.
    4-Você deixa ele em pé, dá umas lambidinhas no anus dele, passa lubrificante ky no seu dedo e na entradinha do anus e vai enfiando o dedo.
    5-Você deixa ele deitado com as pernas para cima, dá umas lambidinhas no anus dele, passa lubrificante ky no seu dedo e na entradinha do anus e vai enfiando o dedo e aproveita e faz aquele sexo oral nele.

Deixe uma resposta