Chocolate x TPM: Ele pode estar piorando tudo…

Atire a primeira barra quem nunca comeu um pedaço de chocolate para aliviar os sintomas da TPM. Eu sou tão culpada que, confesso!, hoje comi mais de dez quadradinhos para ver se assim ficava mais feliz. Só que eu descobri que o chocolate pode piorar o meu estado em vez de entregar o conforto que eu procuro.

que nem mocinha- chocolate e tpm

Pois é, menina.

Então resolvi conversar com a minha amiga Elaine, que também é nutricionista e já deu as caras por aqui no post sobre diarreia na menstruação, para entender mais sobre essa relação. 

Tá, me explica essa história direito

Elaine começou me dando uma boa notícia: “Quando consumido com moderação e do tipo certo, o chocolate pode ser um ótimo aliado à saúde”. Lindo, né? Isso acontece por causa de dois hormônios, a serotonina e a endorfina, chamados de “hormônios da felicidade”. Eles são liberados quando fazemos determinadas coisas e comemos certos alimentos, como o chocolate. Por isso, quando estamos estressadas ou na TPM, uma “barrinha inocente” parece ser a solução para todos os problemas da vida.

que nem mocinha - chocolate x tpm

O principal ingrediente da maioria dos chocolates é o cacau, como vocês já devem saber. Uns tipos têm mais, outros tipos têm menos – e alguns nem cacau tem! De qualquer modo, existe um antioxidante chamado flavonoide, presente na semente do cacau. Daí, quanto mais cacau em um chocolate, mais flavonoide. Esse antioxidante é um grande aliado na hora de reduzir a formação de placas de gordura nas artérias, além de diminuir o colesterol ruim (LDL). Todos esses benefícios dos flavonoides ajudam no correto funcionamento do coração e reduz o risco de doenças cardiovasculares. Além disso, a maioria dos chocolates é composta por carboidratos (açúcar), gordura, cálcio, potássio, magnésio, e substâncias como a cafeína, que estimula o raciocínio e a atenção. Até aqui, tudo lindo.

Porém… Essa mistura faz com que esse doce seja um alimento calórico, principalmente quando é mais doce, como o ao leite e branco. Esses têm menos cacau e mais o combo gordura + açúcar, que é terrível. O excesso de gordura aumenta a produção das prostaglandinas, substância que pode aumentar a sensibilidade. Essa gordura toda também pode piorar as cólicas, a dor de cabeça e as alterações de humor, além de aumentar a inflamação crônica do corpo que acontece quando estamos de TPM.

que nem mocinha - chocolate vs tpm

Então, o que fazer?

O ideal é evitar frituras e fast foods durante a TPM. Difícil, eu sei, por isso eu recomendo fazer isso aos poucos. O caso do açúcar é um pouco mais complicado, porque sua falta pode causar mais irritação e cansaço do que se ele for mantido. “O açúcar pode ajudar na retenção de líquidos, aumentando o inchaço. O ideal é que ele seja bem equilibrado, dando preferência pro doce das frutas e ir alternando com outros doces, como chocolate”, afirma Elaine. 

Além de maneirar nos doces e nos alimentos mega gordurosos, você pode comer mais fibras, como cereais integrais e barras de granola, que dão uma força para o intestino e diminuem as alterações de humor. Outra dica é se jogar no ômega 3 (muito presente na linhaça, por exemplo), que ajuda muito a aliviar o estresse, e evitar o sódio (sal e produtos artificiais como miojo), que favorece o inchaço das pernas e a irritação. Ah, e beba muita água: ela ajuda a aliviar o inchaço do corpo.

Mas não posso comer nenhum chocolate? Nem um pouquinho?

Calma, também não é assim. Não estamos falando para você cortar o chocolate de vez, só para vocês não exagerarem. A Elaine fez uma listinha dos tipos de chocolate que a gente mais encontra por aí e o que ele pode causar no seu organismo:

• Amargo: Esse tipo de chocolate é o que mais vai ter sementes de cacau em sua composição. Ou seja, mais flavonoides e mais benefícios para a saúde. Ele também contém uma quantidade mínima de manteiga de cacau, pouquíssimo açúcar e não tem adição de leite. O cacau compõe, no mínimo, 70% do produto. Como o próprio nome já diz, é amargo, por causa do forte sabor do cacau e a pouca adição de açúcar. Por isso, é pouco consumido. Geralmente esse tipo de chocolate é utilizado em preparações, onde será misturado a outros ingredientes e seu gosto não vai ficar em tanta evidência.

Ao leite: O queridinho da maioria dos brasileiros e o mais popular entre os tipos de chocolate. O chocolate ao leite possui entre 36% e 46% de sementes de cacau, além de manteiga e licor de cacau, leite fluido, leite em pó ou leite condensado. Ou seja, haja caloria! Seu valor calórico é muito maior do que o chocolate amargo e sua quantidade de flavonoides bem inferior, devido ao menor teor de cacau em sua composição.

Branco: Para alguns, nem chocolate de verdade é. Levando em consideração que ele é feito a base de sementes de cacau, então o “chocolate” branco não é chocolate de verdade. Em sua composição não há sementes de cacau – então nada de flavonoides. Basicamente, o chocolate branco é constituído por leite, açúcar, manteiga de cacau (gordura) e lecitina. Seu teor de gordura e açúcar é enorme quando comparado aos outros dois já citados.

Ao leite 0% açúcar: É sem açúcar, mas com muito mais gordura. É indicado para diabéticos, mas ainda é um produto calórico. A quantidade de açúcar a menos é compensada com gordura, tornando-o até mais calórico que o chocolate ao leite tradicional.

Então fica a dica: quanto maior a quantidade de cacau presente no chocolate, maior são os benefícios que ele traz para a nossa saúde. E não tem problema em comer uma barrinha de vez em quando, só não pode exagerar, ok?

One comment

Deixe uma resposta