capa_câncer de mama
Corpo,  Erika Responde

Câncer de mama: sintomas e como fazer o autoexame

Olá, meninas! Estamos na segunda semana do nosso especial sobre câncer de mama, espero muito que vocês estejam gostando. Na semana passada, falamos sobre a doença e sobre o #outubrorosa, que é a campanha de conscientização que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. No post de hoje, vou falar sobre os principais sintomas da doença e reforçar a importância do autoexame, além de dar algumas dicas de como fazê-lo. Vamos lá?

Como fazer o autoexame da mama

Para fazer o autoexame da mama é necessário seguir três passos principais, que vamos abordar mais para a frente. O autoexame da mama deve ser feito uma vez por mês, todos os meses, 3 a 5 dias após o aparecimento da menstruação ou em uma data fixa nas mulheres que já não têm menstruação. Todas as mulheres após os 20 anos, com caso de câncer na família, ou com mais de 40 anos, sem caso de câncer na família, devem fazer o autoexame para prevenir e diagnosticar precocemente o câncer de mama.

Em pé

câncer de mama: passo a passo

Para se fazer a observação em frente ao espelho deve-se ficar retirar toda a roupa e observar seguindo o seguinte esquema:

  1. Primeiro, observar com os braços caídos;
  2. Depois, levantar os braços e observar as mamas;
  3. Por fim, é aconselhado colocar as mãos apoiadas na bacia, fazendo pressão para observar se existe alguma alteração na superfície da mama.

Durante a observação é importante avaliar o tamanho, forma e cor das mamas, assim como inchaços, abaixamentos, saliências ou rugosidades. Caso existam alterações que não estavam presentes no exame anterior ou existam diferenças entre as mamas é recomendado consultar o ginecologista.

Depois, no chuveiro, você deve fazer um novo autoexame, com o corpo molhado e as mãos ensaboadas. Para isso deve-se:

câncer de mama: autoexame no banho

  1. Levantar o braço esquerdo, colocando a mão atrás da cabeça como mostra a imagem 4;
  2. Palpar cuidadosamente a mama esquerda com a mão direita usando os movimentos da imagem 5;
  3. Repetir estes passos para a mama do lado direito.

A palpação deve ser feita com os dedos da mão juntos e esticados em movimentos circulares em toda a mama e de cima para baixo. Depois da palpação da mama, deve-se também pressionar os mamilos suavemente para observar se existe a saída de qualquer líquido.

Deitada

câncer de mama: autoexame deitada

Para se fazer a palpação deitada deve-se:

  1. Deitar e colocar o braço esquerdo na nuca;
  2. Colocar uma almofada ou toalha debaixo do ombro esquerdo para ser mais confortável;
  3. Palpar a mama esquerda com a mão direita.

Estes passos devem ser repetidos na mama direita para terminar a avaliação das duas mamas. Caso seja possível sentir alterações que não estavam presentes no exame anterior é recomendado consultar o ginecologista para fazer exames diagnóstico e identificar o problema.

Além do autoexame, também é importante estar atenta a outros possíveis sinais de câncer, saiba quais são:

Sintomas do câncer de mama

Os sintomas inicias de câncer de mama estão relacionados com alterações visíveis, como diferenças na forma ou na sensibilidade da mama. Estes sinais podem surgir tanto na mulher como no homem e, quanto mais cedo forem descobertos, maiores são as chances de cura. Existem 12 sintomas que não devem ser ignorados de forma alguma. São eles:

  1. Alterações do tamanho ou forma da mama;
  2. Vermelhidão, inchaço, calor ou dor na pele da mama;
  3. Nódulo ou caroço na mama, que está sempre presente e não diminui de tamanho;
  4. Inchaço e nódulos frequentes nas ínguas das axilas;
  5. Assimetria entre as duas mamas, como, por exemplo, uma muito maior que a outra;
  6. Presença de um sulco na mama, como se fosse um afundamento de uma parte da mama;
  7. Endurecimento da pele da mama, semelhante a casca de laranja;
  8. Coceira frequente na mama ou no mamilo;
  9. Formação de crostas ou feridas na pele junto do mamilo;
  10. Liberação de líquido pelo mamilo, especialmente sangue;
  11. Inversão súbita do mamilo;
  12. Veia facilmente observada e crescente.
12 sintomas do câncer de mama
Fiquem atentas a esses sintomas!

Estes sintomas podem surgir em simultâneo ou isoladamente e podem significar de câncer na mama inicial ou já avançado. Porém, a presença de um algum deles não significa necessariamente a existência da doença, mas, deve-se consultar o médico o mais rápido possível, pois pode ser um nódulo benigno ou uma inflamação do tecido mamário, que também necessita de tratamento.

Quando existem outros casos de câncer de mama ou de ovário na família é recomendado avaliar o risco de se ter estes tipos de câncer. Para isso, é importante fazer um exame chamado teste genético, que ganhou fama em 2014, depois que a Angelina Jolie fez uma bateria de exames genéticos que confirmou seu gene BRCA1 “defeituoso”. Esse gene é responsável pelo aumento de chances da mulher ter câncer de mama ou ovário; no caso da atriz o fator hereditário contribuía ainda mais, já que sua mãe faleceu aos 56 anos, vítima da doença. A decisão de Angelina foi realizar a masectomia total (retirada dos seios),  o que reduziu para 8% a probabilidade dela vir a desenvolver o câncer de mama.

Semana que vem teremos a última coluna sobre o câncer de mama: tratamento,aspectos psicológicos e exemplos de superação. Não perca!

Erika Oliveira

Psicologa e Sexóloga, por curiosidade e vocação. Quando tinha 12 anos "devorou escondida" a coleção de livros sobre sexologia de sua mãe, ali nascia o interesse por uma das temáticas mais atraentes, enigmáticas e cheias de tabu: A sexualidade Humana. Na adolescência ensinava as amigas a como colocar absorvente, que siririca não engravidava, e quais eram sintomas da gravidez. Na juventude curtiu como muitas meninas, de beijos e carinhos entre meninas e meninos, conheceu o mundo BDSM ,as baladas GLBTS e por fim se apaixonou por um dentista de esquerda. Hoje é mãe da pequenina Eva,na maternidade sentiu necessidade de engajar-se na luta de igualdade de gêneros e emancipação das mulheres. Ativista feminista, se não está trabalhando, está brincando de pintar e contar historia com a sua filha, ou tomando uma cerveja com marido (aquele dentista de esquerda) conversando sobre as mazelas do mundo e como o amor é maior ato de revolução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *