Erika Responde

Erika Responde: bi x pansexual e falta de tesão

Na coluna de hoje, nossa psicóloga e sexóloga Erika Oliveira vai responder perguntas sobre a diferença entre pansexual e bissexual e falar sobre possíveis fatores que fizeram uma de nossas leitoras perderem a vontade de fazer sexo com o marido. Vamos lá?

erika-responde-2

Eu tenho duvidas sobre o bissexuais e os pansexuais? É a mesma coisa?

Vamos contextualizar cada um para aprofundarmos em suas peculiaridades: Bissexualidade está mais direcionada para orientação sexual, já o pansexual mais direcionado a questões de identidade de gênero.

Como disse anteriormente, o bissexual sente- se atraído sexualmente e afetivamente por humanos adultos de ambos os gêneros: masculino e feminino, não há nenhuma ferramenta que mensure o percentual de atração entre um gênero e outro.

Já o pansexual sente- se atraído afetivamente e sexualmente por humanos adultos, incluindo aquelas pessoas que não se encaixam na binária de gênero macho/fêmea implicado pela atração bissexual. Ou seja, há pluralidade de diversidade de identidade de gêneros, tais como: transexuais, travestis, intersexuais, ageneros ou gêneros fluidos.

Vimos que descrevendo a pansexual idade não foram falados absolutamente NADA de atrações por arvores, objetos inanimados, animais, mortos ou até mesmo criança. Isso é lenda e preconceito.

Existe muita invisibilidade a questões relacionadas à bissexualidade e pansexualidade. São vistos como confusos hedonistas e estigmados a serem portadores de DSTs/ AIDS, uma ideia errônea e inadequada em pleno século 21. Qualquer estará sujeito a ser contaminado por alguma doença sexual se não se prevenirem com uso de preservativos, independente de sua orientação sexual e /ou identidade de gênero.

Independente da orientação sexual, o importante é que essas pessoas sejam respeitadas, tenham oportunidade de emancipação social, terem suas necessidades atendidas, não serem tratadas como objeto de fetiche e principalmente serem felizes! Afinal qual é o ser que não busca a felicidade?

all-love-is-equal

 

Oi, meu nome é Monica e tenho 40 anos, sou casada ha 20 anos e tenho um filho de 2 anos. Depois do nascimento do meu filho, a minha vida sexual não é a mesma. Eu acho que perdi o interesse pelo meu marido, tenho dificuldades e dores no ato sexual, não lubrifico mais.
Estou preocupada, sei o quanto isso afeta mibha vida e do meu marido,quero salvar meu casamento e não sei mais o que fazer.
Por favor….me ajude.

Olha, querida, uma série de fatores podem estar correlacionados a sua angústia. Não consigo responder de modo certeiro, pois é necessária uma investigação de fatos passados para traçarmos um tratamento ideal. Porém, consigo pontuar fatores que possam ter levado a essa situação e aconselho você a procurar dois profissionais:

Ginecologista: Irá realizar exames clínicos e fará exames para garantir que tudo está dentro da normalidade, e comparando antes e depois da gravidez. O profissional pode descartar doenças como vulvites e vaginismo que podem causar essa falta de tesão.

Psicólogo: Super importante para que você possa desabafar sobre suas angustias, medos, incertezas sem medo de julgamento, onde a profissional irá pontuar a causa dessa tensão e irá te apoiar a encontrar novamente a consciência e bem estar. Existe um glamour sobre a maternidade e de realização absoluta em ser mãe; uma ideia totalmente comercial que não se preocupa com o lado físico e psicológico da mulher. Mocinha, você não é a única a estar passando por isso. O fato de pedir ajuda é um bom sinal que você queira reencontrar a sua paz, e isso independe de marido e filhos.

Erika Oliveira

Psicologa e Sexóloga, por curiosidade e vocação. Quando tinha 12 anos "devorou escondida" a coleção de livros sobre sexologia de sua mãe, ali nascia o interesse por uma das temáticas mais atraentes, enigmáticas e cheias de tabu: A sexualidade Humana. Na adolescência ensinava as amigas a como colocar absorvente, que siririca não engravidava, e quais eram sintomas da gravidez. Na juventude curtiu como muitas meninas, de beijos e carinhos entre meninas e meninos, conheceu o mundo BDSM ,as baladas GLBTS e por fim se apaixonou por um dentista de esquerda. Hoje é mãe da pequenina Eva,na maternidade sentiu necessidade de engajar-se na luta de igualdade de gêneros e emancipação das mulheres. Ativista feminista, se não está trabalhando, está brincando de pintar e contar historia com a sua filha, ou tomando uma cerveja com marido (aquele dentista de esquerda) conversando sobre as mazelas do mundo e como o amor é maior ato de revolução.

3 Comentários

  • Estella Lima

    Nossa Erika parece que a coluna de hoje foi para mim, meu nome é Estella tenho 35 anos e tenho 3 filhos: 5, 3 e 8 meses; confesso que depois do ultimo filho meu tesão foi embora, tenho dó do meu esposo, me esforço e nada.
    Antes eu era muito fogosa, meu marido pedia arrego.
    Em minha ultima consulta a ginecologists disse que extsva tudo OK que era coisa da minha cabeça, eu fui até pq queria algum remédio para secar meu leite ( amamento os 2 menores)
    Vc acha que devo procurar um psicólogo?
    Já pensei até separação, mas amo meu marido.

  • Donna

    Boa noite, queria maiores informações sobre bondage.
    Tenho sonhos eróticos com cenários sadomasoquista, estou pensando em experimentar.

  • Natalia

    Oi, eu tenho 15 anos e tenho muita dificuldade em entender o que é identidade de gênero e orientação sexual.
    É a mesma coisa?
    O que seria ideologia de gênero nas escolas? É aula para homossexual?
    Já li muitos textos na internet, mas ainda não está claro.
    Poderia me ajudar?
    Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *